sexta-feira, 31 de maio de 2019

Tempo Certo

Paulo Coelho

Tempo Certo

De uma coisa podemos ter certeza:
de nada adianta querer apressar as coisas;
tudo vem ao seu tempo,
dentro do prazo que lhe foi previsto.
Mas a natureza humana não é muito paciente.
Temos pressa em tudo e aí acontecem
os atropelos do destino,
aquela situação que você mesmo provoca,
por pura ansiedade de não aguardar o tempo certo. Mas alguém poderia dizer:
Qual é esse tempo certo?

Bom, basta observar os sinais.
Quando alguma coisa está para acontecer
ou chegar até sua vida,
pequenas manifestações do cotidiano
enviarão sinais indicando o caminho certo.
Pode ser a palavra de um amigo,
um texto lido, uma observação qualquer.
Mas, com certeza, o sincronismo se encarregará
de colocar você no lugar certo,
na hora certa, no momento certo,
diante da situação ou da pessoa certa. 

Basta você acreditar que nada acontece por acaso. Talvez seja por isso que você esteja
agora lendo estas linhas. 
Tente observar melhor o que está a sua volta.
Com certeza alguns desses sinais
já estão por perto e você nem os notou ainda. 
Lembre-se, que o universo sempre
conspira a seu favor quando você possui um
objetivo claro e uma disponibilidade de crescimento.

Paulo Coelho

ISSO TAMBÉM PASSA...


Então perguntaram à ele o por quê disso...
Ele disse que era para se lembrar que, quando estivesse passando por momentos ruins, poder se lembrar de que eles iriam embora, e que ele teria que passar por aquilo por algum motivo. 
Mas essa placa também era pra lembrá-lo que quando estivesse muito feliz, que não deixasse tudo pra trás, porque esses momentos também iriam passar e momentos difíceis viriam de novo...
E é exatamente disso que a vida é feita:
 MOMENTOS!
Momentos os quais temos que passar, sendo bons ou não, pro nosso próprio aprendizado. Por algum motivo... 
Nunca esqueça do mais importante: 
NADA É POR ACASO! Absolutamente nada. 
Por isso temos que nos preocupar em fazer a nossa parte da melhor forma possível.

(Chico Xavier)

O que Araújo Jorge disse sobre a Viagem

A Viagem

Não vamos fazer planos, vamos apenas viajar
neste barco que nos recolheu
e cujo rumo não sabemos...
Não vamos fazer planos, vamos olhar as gaivotas,
os crepúsculos sobre o mar,
as ondas, as nuvens, os portos que amanhecerão,
agradecer ao destino que nos fez passageiros
do mesmo sonho.
Não vamos fazer planos, não vamos matar as nossas alegrias
modificando roteiros, se não sou o comandante do navio,
se ninguém é,
não vamos matar as nossas alegrias
com itinerários antecipados
como se fossemos turistas ricos
apenas gastando o seu tédio...
Não vamos fazer planos, vamos nos deixar levar
ao sabor das correntes,
vamos agradecer essa viagem como se fosse a primeira
como se fosse a última,
como se fosse aquela viagem há tanto tempo esperada,
que inacreditavelmente se tornasse
realidade...
E o porto onde chegarmos, - qualquer que seja o porto
ou o horizonte de mar que sempre se afastará,
serão o porto e o horizonte
da felicidade...

Araújo Jorge

Na Alemanha cada Monumento Lembra um Aspecto da História


Cidade de Kiel

Quando caminhamos pelas ruas das cidades da Alemanha percebemos a presença de inúmeros monumentos, que foram construídos como forma de preservar a memória e a rica história alemãs.
Cada monumento lembra um aspecto dessa história.
São homenagens a personagens que contribuíram para a criação e o desenvolvimento do país, ou lembranças a episódios trágicos protagonizados pelos alemães, como, por exemplo, os memoriais sobre o holocausto.

A proteção ambiental na Alemanha



A proteção ao meio ambiente na Alemanha alcançou um nível elevado em comparação a outros países.
Em todos os setores à emissão, foram impostos limites rigorosos a liberação de poluentes no ar e nas águas.
Na Alemanha a proteção as bases naturais da vida está fixada em lei fundamental.
A tarefa do estado é proteger as bases naturais da vida.
As cidades da Alemanha são todas arborizadas, limpas, e seus rios são todos limpos, inclusive muitos deles são navegáveis.
O rio é considerado patrimônio das cidades, gera recursos para elas, através do turismo.
Para atender aos turistas que visitam as cidades, tem sempre um barco a disposição.
Só para dar um pequeno exemplo da atitude ambiental; as garrafas Pete de refrigerantes de plásticos, que poluem o meio ambiente por anos, levando cinco delas, vazias aos supermercados a pessoa ganha um vale que normalmente é correspondente ao preço de uma garrafa cheia de refrigerante.
Também se quiser, pode comprar outra coisa do mesmo valor com o vale.
Isto é feito nas latinhas de refrigerantes, cervejas e garrafas de vidros.
Nas entradas dos supermercados normalmente tem uma máquina que trituram as garrafas de plásticos, de vidros vazias, que emitem os vales.
Nas casas e apartamentos, é feita a separação do lixo pelos moradores.
Nos centros das cidades não tem recipientes de lixo, porque ninguém joga lixo nas ruas.
A imprensa fala muito sobre proteção ambiental e a importância do cidadão alemão no processo.
Por isto a consciência ambiental do cidadão alemão é muito grande.

O Ensino Superior na Alemanha

Na Alemanha o ensino universitário é considerado extremamente importante. As Universidades, em geral, são públicas e gratuitas. Os professores são valorizados: os salários são bons e as condições de trabalho excelentes.
Em Kiel, os alunos, ao matricularem-se na Universidade, recebem uma identidade estudantil, que dá acesso gratuito ao transporte público municipal, aos restaurantes universtiários, cujos preços são subsidiados para os estudantes, descontos nos transporte intermunicipal por via férrea (trens) etc.
Embora a Alemanha esteja ainda sofrendo os impactos da crise financeira cujo ápice se deu no passado, o corte orçamentário recentemente anunciado pelo Governo Federal não atingirá a pesquisa e o ensino universitário, o que revela a importância que os alemães dão a eles.

Educação é prioridade no país...

"A Biblioteca central da Universidade de Kiel"


"Prédio do Instituto de História e Ciências Políticas da Universidade de Kiel"

Sistema de saúde na Alemanha

O sistema de saúde vem passando por transformações.
A assistência médica é muito boa, com excelentes instalações e bons profissionais.
Na Alemanha o seguro saúde é obrigatório.
A contribuição a pagar para o seguro saúde é calculado em função do rendimento do contribuinte.
Crianças e jovens até 18 anos estão isentos das contribuições, o estado banca.
Os seguros médicos obrigatórios dão direito a tratamentos completos, inclusive hospitalização, operações, tratamentos dentários, etc.
A maior parte dos medicamentos é paga pelos seguros.
Os seguros obrigatórios gastam com tratamento da população alemã cerca de 140 bilhões de euros por ano.
O sistema de saúde passou por reformas, visando diminuir os custos, mas melhorar ainda mais a qualidade dos serviços.
O governo exerce uma fiscalização as seguradoras, e banca grande parte dos atendimentos, ficando uma parte para a população pagar.
Através de medidas o governo está sempre melhorando o sistema de saúde para a população.



"Andam muito a pé, fazem muitos exercícios"

"Utilizam muito as bicicletas"

quinta-feira, 30 de maio de 2019

As estradas da Alemanha

As estradas são de ótima qualidade não tem curvas, só retas.
Em alguns trechos não tem limites de velocidades, os carros podem chegar até a 200 km/hora.
Na Alemanha não tem pedágio nas estradas.
Os impostos que os cidadãos pagam são suficientes para manter a excelente qualidade das estradas.
Os impostos dos automóveis são baixos, isto faz com que as marcas BMW, Mercedes Bens e Audi, serem mais acessíveis a população.
Impostos caros na Alemanha são de cigarros e bebidas alcoólicas.
O transito permite e exige alta velocidade nas estradas.
As estradas oferecem esta condição, são duas pistas em cada sentido.
Indo da cidade de Kiel até a cidade de Hamburgo, pude sentir a emoção de dirigir um carro em uma auto-estrada a 150 km/hora, sem correr nenhum risco.

Usina Nuclear na França

Quando estávamos indo de carro, de París para cidade de Tours no sul da França, passamos próximos a uma usina nuclear.
Ficamos impressionados com tantos gases que a usina despeja na atmosfera.

Energia Eólica

Energia Eólica é a energia gerada pelo vento. 
É considerada importante fonte de energia, por se tratar de uma fonte limpa. 
Ela não gera poluição e nem agride o meio ambiente, por esta razão é muito usada em vários países da Europa. 
Na Alemanha é muito comum este tipo de energia, não dentro das cidades, mas na área rural. 
É para regiões mais planas e montanhosas onde a corrente do vento é grande. 
São grandes turbinas em formato de cata-vento, que são colocadas em locais abertos e com boa corrente de ventos. 
Através de um gerador o movimento destas turbinas gera a energia elétrica. 




Cidade de Hamburgo na Alemanha



Restaurante na cidade de Hamburgo, próximo ao Rio Elba que corta a cidade. Hamburgo possui o maior porto da Alemanha, a cidade tem investido muito no turismo e na cultura, e uma programação de eventos ricas, com investimentos no teatro musical. É uma cidade que foi bombardeada na segunda guerra mundial, o centro da cidade foi parcialmente destruido, juntamente com seu centro industrial. Hoje, totalmente reconstruída, uma grande cidade e muito bonita para se visitar.

Alemanha o Paraíso das Cervejas

A Alemanha tem o título do país das cervejas.

Na Alemanha tem mais de cinco mil marcas de cervejas, contando as bebidas não-alcoólicas.
A cerveja é a terceira mais consumida depois da água e café.
As cervejas se classificam não só pelas cores sabores, aromas, mas também pelo teor alcoólicos.
Na hora do brinde, os alemães costumam se olhar no fundo dos olhos e chamar ”Prost”, a saúde ou tim - tim no Brasil.
Das cervejas que tomei gostei do sabor de três, sendo que a paulaner produzida em Munique, a melhor.


Ela não está localizada no centro da cidade e, para isso precisamos pegar o metro, descer na estação Goetheplatz e caminhar uns 5 minutos. Pronto lá estava ela toda imponen
Ela não está localizada no centro da cidade e, para isso precisamos pegar o metro, descer na estação Goetheplatz e caminhar uns 5 minutos. Pronto lá estava ela t




Bierbike em Berlin




Cervejaria movida a pedaladas nas ruas de Berlin.
Os turistas adoram este tipo de passeio, tomam cervejas e pedalam pelas ruas da cidade, numa super bicicleta.
Quem comanda a Bierbike pelas vias pública da cidade de Berlin, que mantém o controle dos freios e a direção, é um funcionário da empresa, que não pode beber.
É um tipo de passeio pouco convencional, mas é um sucesso pelos turistas que visitam a Alemanha.

Memorial do Holocausto em Berlin

São 2.711 colunas espalhadas pelo arquiteto Peter Eisenman, que servem como metáfora do horror.

O memorial é um grito silencioso à memória aos judeus mortos durante a segunda guerra.
Ocupa o centro das atenções de uma Alemanha que procura se retratar ao mundo, a sua vergonha.

O Muro de Berlim

Em 1961, durante a guerra fria foi erguido o muro de Berlim para separar a parte que ficou sob a administração da União Soviética, das partes que ficaram sob a administração dos Estados Unidos, Inglaterra e França.
De um lado ficou a Alemanha Oriental do outro lado a Alemanha Ocidental.
Assim nasceu o muro de Berlin, que separou o povo de um país por 28 anos.
De 13-08-1961 à 09-11-1989.


"Pé esquerdo na parte da ex-Berlin Oriental e pé direito na parte da ex-Berlin Ocidental.
Em toda Berlin, onde existia o Muro, tem uma marca no chão. De um lado era Berlin Oriental e do outro lado era Berlin Ocidental".






Em 9 de novembro de 1989, com a crise do sistema socialista no leste da Europa e o fim deste sistema na Alemanha Oriental, ocorreu a queda do muro. Cidadãos da Alemanha foram para as ruas comemorar o momento histórico e ajudaram a derrubar o muro. O ato simbólico representou também o fim da Guerra Fria e o primeiro passo no processo de reintegração da Alemanha.  

quarta-feira, 29 de maio de 2019

A Culinária na Alemanha



Porco e aves são as principais variedades das carnes na culinária Alemã, sendo a carne de porco a mais popular.
Entre as aves, a carne de frango é a mais popular, seguidas das carnes de pato, ganso e peru.
O Alemão come muita salsicha no pão, com molho de mostarda.
É um grande consumidor de sanduíches.
A Batata acompanha sempre a carne nos pratos.
A comida predileta dos alemães é um prato com joelho de porco, batata e repolho fermentado (chucrute).
Nas refeições gostam de um bom vinho ou uma cerveja.
As sobremesas são tortas e bolos.
As mais consumidas são as tortas de frutas de maçãs, morangos ou cerejas.
Gostam também de tomar sorvetes após as refeições.

Como viajar te transforma numa pessoa melhor

Guilherme Carvalho


O americano Matthew Kepnes, que está na estrada há 8 anos, fez uma lista apontando como essa experiência faz de nós alguém melhor.

Acredito que ninguém discorde de que viajar nos faz bem, certo? Seja um simples bate-volta para a praia durante o final de semana, uma viagem de férias ou um mochilão ao redor do mundo, colocar o pé na estrada – mesmo que nos deixe mais cansados do que antes de partir – sempre nos traz algo de positivo.
Mas, por acaso, você já parou para pensar em como, exatamente, viajar te torna uma pessoa melhor? Bom Matthew Kepnes parou.
Ele está viajando desde 2006 mesmo não gostando de avião. Este americano, até então, trabalhava num cubículo e tinha duas semanas de férias por ano, “como a maioria dos americanos”. Então depois de fazer uma viagem para a Tailândia em 2005 ele resolveu terminar o MBA que estava fazendo, largar o trabalho e viver eternamente na estrada. O projeto está dando certo. Até agora pelo menos.

Por ser muito questionado sobre como a viagem o mudou, Matt resolveu se aprofundar nessa questão e chegou a uma conclusão com dez razões pelas quais viajar nos faz uma pessoa melhor.
Como não poderíamos estar mais de acordo com os pontos mencionados pelo viajante, resolvemos expô-los por aqui. Quem sabe você se convença de que se lançar no mundo realmente é uma boa ideia.

A viagem te torna:

1- … mais sociável
“Na estrada, é pegar ou largar. Você  pode se tornar mais sociável ou acaba sozinho, chorando a noite no travesseiro . Você aprende a fazer amigos – antes estranhos – e se desenvolve na arte de conversar com novas pessoas. Quando eu comecei a viajar, era um pouco introvertido e me sentia desconfortável ao falar com aqueles que não conhecia. Agora converso alegremente com estranhos como se fossemos melhores amigos há anos.”

2- … melhor na arte de conversar
“Viajar não apenas te deixa mais confortável ao falar com estranhos, mas o torna melhor na conversa também. Depois de conversar com pessoas o tempo todo, as mesmas perguntas vão ficando chatas. Você começa a ficar entediado. Depois de um tempo, não te importa de onde as pessoas vieram, para onde eles estão indo, há quanto tempo eles estão viajando, nem nada do tipo. Esses tipos de perguntas realmente não dizem nada sobre a pessoa. Você melhora na arte da conversa fiada e aprende a fazer perguntas realmente interessantes – aquelas que importam e dizem algo sobre a pessoa.”

3- … mais confiante
“Você viajou o mundo. Escalou o Monte Everest; mergulhou na Grande Barreira de Corais; jantou com aquela bela garota em Paris; rumou por cidades desconhecidas; e superou o seu medo de altura. Em suma, você fez coisas impressionantes. Como você pode não ter se tornado mais confiante? Como pode não ter certeza sobre as suas habilidades? Depois de realizar muito, você vai se sentir muito mais confiante em sua capacidade de alcançar qualquer coisa que aparece em sua mente.”

4-… mais adaptável
“Você lidou com voos perdidos, ônibus lentos, curvas erradas, atrasos, comida de rua ruim e muito, muito mais. Depois de um tempo, você aprende a adaptar os seus planos em situações inesperadas. Você não fica louco, você não fica com raiva, você apenas altera o planejamento e segue em frente. A vida te arremessa bolas e você manda para as redes. Por quê? Porque você é incrível.”

5-… mais aventureiro
“Quando você se torna confiante em sua capacidade de fazer qualquer coisa, você realmente pode fazer qualquer coisa. Na semana passada, em Austin, no Texas, apesar de não gostar de comida picante, eu experimentei a pimenta mais picante do mundo. Por quê? Porque eu queria. Qual é a finalidade da vida, se não sair da sua zona de conforto? Minha boca ficou pegando fogo por muito tempo. Mas eu faria tudo de novo.”

6-… mais descontraído
“Todos esses erros fizeram algo por você também. Eles o tornaram mais descontraído e relaxado. Por quê? Porque você lidou com eles e não se importa. Você vai com o fluxo agora, porque se a viagem lhe ensinou alguma coisa é que tudo funciona no final e que não há necessidade de stress.”

7- … mais sexy
“Estresse provoca envelhecimento. Estes dias de descanso e livre de preocupações na estrada irão torná-lo mais confiante e radiante, além de envelhecer mais devagar. Você vai parecer jovem e sexy. A menos que você seja o George Clooney, que definitivamente ficou melhor com a idade.”

8- …mais esperto
“A menos que você se hospede em um resort e afogue seu cérebro em drinks, viajar vai te ensinar sobre o mundo. Você vai aprender sobre pessoas, história, cultura e fatos misteriosos sobre lugares que muitos apenas sonham. Em suma, você vai ter um melhor entendimento sobre como o mundo gira e como as pessoas se comportam. Isso é algo que não pode ser aprendido a partir de livros – você só pode aprender com a experiência de estrada.”

9- …menos materialista
“Na estrada você aprende que necessitamos pouquíssimo dos recursos materiais. Você vai perceber que toda essa baboseira que eles vendem no shopping é bastante inútil numa vida verdadeiramente feliz. Quando voltar, você vai encontrar-se um minimalista, simplesmente porque percebeu o que precisa para viver e o que não precisa. Como se costuma dizer: quanto mais você possui, mais essas coisas possuem você.”

10- …mais feliz
“Viajar te ensina, simplesmente, como ser feliz. Você vai se tornar mais relaxado, mais confiante e verá o mundo como um lugar mais brilhante. Como você pode não estar feliz com a vida depois de tudo isso?
Viajar nos torna melhor. Quando você aprende mais sobre o mundo e as pessoas, testa seus limites e experimenta coisas novas, você se torna mais aberto, extrovertido e incrível.
Por tudo isso, não há nenhuma razão para que você não esteja planejando a sua próxima aventura agora – seja uma viagem ao redor do mundo ou apena algo curto, de férias”

Arquivo do Blogueiro II: revivendo tempos antigos de São Domingos do Prata

Comemorando a chegada do ano novo, o Blogueiro publicou, no início de Janeiro, fotos históricas de São Domingos do Prata. Sob a máxima que viver o presente implica recordar o passado, damos sequência a essa ideia, publicando novas fotos do arquivo do Blogueiro.


Reunião, em 07/09/1959, em São Domingos do Prata, 
dos Congregados Marianos da Região


Primeira Turma de Formandos do Colégio Marques Afonso, 08/12/1957

Inauguração da Praça de esportes do Colégio Marques Afonso, 
com a presença do então Deputado Paulino Cícero, 
do então diretor do M.A., Padre Martins, 
e das Professoras Celina Santiago, Guiomar Garcia e Enoi

Sr. Benjamim Torres em reunião com o
 então Prefeito de S.D. do Prata, Felix de Castro


Sr. Benjamim Torres junto aos Professores do Marques Afonso


Inauguração do Hospital Nossa Senhora das Dores,
 em São Domingos do Prata


Equipe da Sucursal da extinta Minas-Caixa em São Domingos do Prata

O mês da justiça tem 10 dias


Nosso problema não é o direito material. Não está nas normas que nos garantem o que é nosso e impedem que outros nos lesem. É o direito processual. Estão aí, para quem quiser ver, as indenizações decorrentes de fatos terríveis, pendentes por anos, sem que as famílias recebam o incompleto consolo.

Em acidente aeronáutico ocorrido em São Paulo, sucumbiram pais de família, executivos embarcados às primeiras horas do dia. Suas famílias sofreram angústias inomináveis, filhos que frequentavam escolas privadas foram para as mal ajambradas públicas (não há no argumento nenhuma defesa de privilégios, a igualdade deveria preponderar). Não se nivela por baixo ou se generaliza o socialismo dos miseráveis.

O mesmo ocorre com os autores dos processos advindos da tragédia de Mariana. E muitas outras.

Justiça tardia é justiça que não existe, todos conhecem o dito de Ruy. E nada se resolve.

Os meses da Justiça brasileira têm dez dias, para qualquer ato. Como os atos processuais são muitos e sucessivos, e para algo muito simples o tempo é de um mês atalhado, multiplique-se e confira-se. Anos e anos a um processo, por mais prosaico que seja. Não à-toa se critica o STF, mas na crítica está embutido um forte sentimento de frustração ante a Justiça como um todo.

Explicamo-nos. Um novo Código de Processo Civil veio acompanhado de declarações de boas intenções (há um lugar cheio delas) para acelerar os processos. Embora algumas normas, nesse sentido, sejam adequadas e justas, o sistema não fecha. O Código é de 2016. Sob o anterior, os prazos eram corridos. É certo que só para os advogados. Contavam-se os fins de semana. Passaram a ser de dias úteis. Aos fins de semana a Justiça é inútil. O mês já foi reduzido a 22 dias. Afora isso, os relógios judiciários não são os nossos.

Os Cartórios, submissos aos juízes, não lhes mandam todos os processos pendentes de decisões. O Código está cheio de prazos para os juízes. Mais de 90% deles não os cumpre. Sabemos que trabalham muito. Mas não passou a hora de acabarmos com a demagogia, esse veneno letal em nosso país?

Contados os procedimentos burocráticos que entravam os andamentos, os prazos caem para os dez dias mensais. Inclusive nos denominados processos eletrônicos. Para quem tem alguma dúvida, considere-se que, na prática, nas justiças estaduais (mirando-se na paulista, a mais "célere" de todas), a partir de 15 de dezembro ninguém mais é de ferro. Efetivamente, só se volta nos últimos dias de janeiro ou nos primeiros de fevereiro nem critério objetivo há. Em outros estados, tudo volta só depois de Momo, mas ninguém é sincero.  Por fim: os Tribunais Superiores (há razões para tratamentos privilegiados, diz-se) há férias generalizadas em julho e janeiro.

Nada mais é preciso dizer, mas o tema nos força a lembrar o exemplo da culta nação japonesa: férias anuais no máximo de 15 dias, para todas as atividades. No Canadá, que tem tantos recursos como nós, todos são examinados, até a última decisão, se cabível dos Tribunais Superiores, no prazo máximo de dois anos.

Trata-se de um problema, antes de tudo, filosófico. Contrariando a máxima de Kant, que trabalhou com lhaneza até em seu leito de morte, o homem não é um homem, é um objeto. Assim a Justiça encara as partes nos processos. Milhões que esperam, alguns mal informados que gritam, nada se resolve.

País sem justiça não é país digno, ninguém merece nascer em seu território.

Amadeu Garrido de Paulaé Advogado, sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados.


O fermento do ódio não permitirá nossa libertação


Libertação dos gravíssimos problemas que nos afligem nos últimos anos.

Nem a sociedade nem os políticos oferecem esperançosas perspectivas. Ver-se-á sem demora a inocuidade dos passos de ontem, de propalada convergência entre Executivo, Legislativo e Judiciário, malgrado nossa vontade.

Depois das primeiras e grandiosas manifestações de ruas, o vencedor foi o fuzil de disparo do ódio comunitário impregnado em supostas ideologias, ia há muito desprovido de fundamentos sociológicos, jurídicos, históricos, enfim científicos.

Numa sociedade de classes sempre haverá necessidades de composições cooperativas.

São inexistentes no Brasil e a cada dia que passa aumenta o ressentimento e o volume das pedras arremessadas por simples emoções.

Não é de hoje que falamos em pacto social inutilmente. O processo constituinte de 2008 foi uma tentativa de resultados apenas parcialmente atingidos.

Quase afogados definitivamente num rio revolto, vive-se o momento mais importante em que mãos devem ser acopladas, independentemente de preconceitos corroídos pela falta da inteligência ampliada,  que é a propulsora da evolução humana.

Sem essa solução básica, educacional, cultural, ética e filosófica, amargaremos vários anos ou até mesmo soçobraremos sob o mar impiedoso.

O dia em que organizações antagônicas -  suposta direita,  suposta esquerda - uma vez que essas divisões há muito se perderam no nominalismo vazio - se  debruçarem sob uma pauta de problemas e de soluções à vista, fundada no mecanismo da razão,  com que todos os humanos foram agraciados em seu processo evolutivo, para melhor ou para pior, será o momento da primavera.

A partir do uso da razão e da obliteração do ódio que carcome irmãos de uma mesma nação, quando se manifestarem dispostos, ao mesmo tempo, a defender seus direitos e admitir suas restrições razoáveis, poderemos dizer que respeitamos nossos descendentes, seremos o prógono que os permitam subsistir em sociedade.

Amadeu Garrido de Paulaé Advogado, sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados.

Calúnia


Amadeu Roberto Garrido de Paula


Se lhe atribuíram falsamente a prática de um crime, o pior modo de tripudiar sobre a honra alheia, tome suas providências judiciais; até porque, diversamente da injúria e da difamação, o que poderia ser considerado ato de indiferença nobre, pode ser havido como silêncio concordante e produzir consequências espúrias.

Mas, independentemente disso, sobretudo se a calúnia é a resposta ao bem, é hora de comparar caráteres. Constata-se que a torpeza é ingrediente de certas personalidades, movidas pela inveja, torpeza, futilidade ou simples desejo de desconstrução do alheio como meio compensatório da própria esqualidez moral e necessidade de compensação.

O indignado dorme, ainda que a sobressaltos. O caluniador sonha com seu mal, acorda, tem náuseas, atribula-se de diversos modos e por muitos anos, sem identificar a origem de seu mal. É o inconsciente detratante que veio à luz e a racionalidade incapaz de contê-lo em sua caverna mal cheirosa.

O caluniador sofre mais, ainda que imperceptivelmente, que o caluniado. Assim como o perdão faz mais bem a quem perdoa do que ao perdoado. Portanto, se o direito não o impedir, perdõe. É a mais honrosa benção que podemos receber das alturas, é o melhor presente que podemos dar a alguém e, ainda, sem que ninguém o saiba, porque o que se dá com uma mão a outra não deve ver.

Essas observações parecem vir na contramão num momento de muitos crimes praticados contra o pobre povo brasileiro. Não estamos, porém, a propor que a sociedade, por seus juízes, perdoe aos que cometeram crimes e lhes retiraram o pão da boca e a amenização dos sofrimentos de saúde. Não há nenhuma relação e, se houver, consiste em desfrutarmos de um futuro bem mais ameno do que esses malfeitores, independentemente dos Moros, que simplesmente cumprem suas funções.

Não há quem deixará de considerá-las metafísicas. Só há o real e o concreto. O idealismo de Kant, de Hegel e de tantos outros não terão contribuído à construção de um mundo mais ético?

Com todo respeito às ideias materialistas, devemos lembrar que, por exemplo, o materialismo de Marx não foi o materialismo grosseiro, mas a história do espírito de Hegel às avessas. Quem não se sente bem ao perceber o imaterial, o incomum, a caminhar para o reino dos deuses, destino de boa parte da humanidade, ao contrário de outra, que caminhará em sentido contrário?

 Portanto, dê a seu caluniador um presente que só amaciará  mais seu coração generoso. O perdoado sofrerá enquanto viver e, esperemos que não, na eternidade.

Amadeu Roberto Garrido de Paula é advogado, sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados.

Em Londres na Porta do Palácio de Buckingham

 
Londres é puro charme, cheia de história, museus, realeza, riquezas, palácios maravilhosos, Relógio Big Bem. etc

"Em frente ao Palácio de Buckingham.