domingo, 23 de fevereiro de 2014

Grande Teórico do Direito e Constitucionalista Alemão visita Itabirito

A caminho de Ouro Preto, Robert Alexy, considerado hoje um dos maiores teóricos do Direito e Constitucionalistas do mundo, visitou Itabirito, tendo almoçado na casa deste Blogueiro.

Alexy esteve em Belo Horizonte para participar do "Congresso Brasil-Alemanha de Teoria do Direito e Direito Constitucional: Conceito e Aplicação do Direito em Robert Alexy", realizado na Faculdade de Direito da UFMG, bem como para receber o título de Doutor Honoris Causa pela referida Universidade.
 
Robert Alexy e Cristóvão Torres, na residência do blogueiro, após almoço oferecido por este ao eminente Jurista alemão. Ao fundo uma tela da terra natal do blogueiro, a querida São Domingos do Prata

sábado, 22 de fevereiro de 2014

A proteção ambiental na Alemanha






    
Berlin
 
A proteção ao meio ambiente na Alemanha alcançou um nível elevado em comparação a outros países.
Em todos os setores à emissão, foram impostos limites rigorosos a liberação de poluentes no ar e nas águas.
Na Alemanha a proteção as bases naturais da vida está fixada em lei fundamental.
A tarefa do estado é proteger as bases naturais da vida.
As cidades da Alemanha são todas arborizadas, limpas, e seus rios são todos limpos, inclusive muitos deles são navegáveis.
O rio é considerado patrimônio das cidades, gera recursos para elas, através do turismo.
Para atender aos turistas que visitam as cidades, tem sempre um barco a disposição.
Só para dar um pequeno exemplo da atitude ambiental; as garrafas Pete de refrigerantes de plásticos, que poluem o meio ambiente por anos, levando cinco delas, vazias aos supermercados a pessoa ganha um vale que normalmente é correspondente ao preço de uma garrafa cheia de refrigerante.
Também se quiser, pode comprar outra coisa do mesmo valor com o vale.
Isto é feito nas latinhas de refrigerantes, cervejas e garrafas de vidros.
Nas entradas dos supermercados normalmente tem uma máquina que trituram as garrafas de plásticos, de vidros vazias, que emitem os vales.
Nas casas e apartamentos, é feita a separação do lixo pelos moradores.
Nos centros das cidades não tem recipientes de lixo, porque ninguém joga lixo nas ruas.
A imprensa fala muito sobre proteção ambiental e a importância do cidadão alemão no processo.
Por isto a consciência ambiental do cidadão alemão é muito grande.

As autoestradas da Alemanha


As estradas são de ótima qualidade não tem curvas, só retas.
Em alguns trechos não tem limites de velocidades, os carros podem chegar até a 200 km/hora.
Na Alemanha não tem pedágio nas estradas.
Os impostos que os cidadãos pagam são suficientes para manter a excelente qualidade das estradas.
Os impostos dos automóveis são baixos, isto faz com que as marcas BMW, Mercedes Bens e Audi, serem mais acessíveis a população.
Impostos caros na Alemanha são de cigarros e bebidas alcoólicas.
O transito permite e exige alta velocidade nas estradas.
As estradas oferecem esta condição, são duas pistas em cada sentido.
Indo da cidade de Kiel até a cidade de Hamburgo, pude sentir a emoção de dirigir um Carro BMW em uma autoestrada a 150 km/hora, sem correr nenhum risco.


quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

O Ensino Superior na Alemanha


Na Alemanha o ensino universitário é considerado extremamente importante. As Universidades, em geral, são públicas e gratuitas. Os professores são valorizados: os salários são bons e as condições de trabalho excelentes.
Em Kiel, os alunos, ao matricularem-se na Universidade, recebem uma identidade estudantil, que dá acesso gratuito ao transporte público municipal, aos restaurantes universtiários, cujos preços são subsidiados para os estudantes, descontos nos transporte intermunicipal por via férrea (trens) etc.
Embora a Alemanha esteja ainda sofrendo os impactos da crise financeira cujo ápice se deu no ano passado, o corte orçamentário recentemente anunciado pelo Governo Federal não atingirá a pesquisa e o ensino universitário, o que revela a importância que os alemães dão a eles.



"A Biblioteca central da Universidade de Kiel"


"Prédio do Instituto de História e Ciências Políticas da Universidade de Kiel"

Cidade de Hamburgo na Alemanha

 

Restaurante na cidade de Hamburgo, próximo ao Rio Elba que corta a cidade. Hamburgo possui o maior porto da Alemanha, a cidade tem investido muito no turismo e na cultura, e uma programação de eventos ricas, com investimentos no teatro musical. É uma cidade que foi bombardeada na segunda guerra mundial, o centro da cidade foi parcialmente destruído, juntamente com seu centro industrial. Hoje, totalmente reconstruída, uma grande cidade e muito bonita para se visitar.


A Culinária na Alemanha


Porco e aves são as principais variedades das carnes na culinária Alemã, sendo a carne de porco a mais popular.
Entre as aves, a carne de frango é a mais popular, seguidas das carnes de pato, ganso e peru.
O Alemão come muita salsicha no pão, com molho de mostarda.
É um grande consumidor de sanduíches.
A Batata acompanha sempre a carne nos pratos.
A comida predileta dos alemães é um prato com joelho de porco, batata e repolho fermentado (chucrute).
Nas refeições gostam de um bom vinho ou uma cerveja.
As sobremesas são tortas e bolos.
As mais consumidas são as tortas de frutas de maçãs, morangos ou cerejas.
Gostam também de tomar sorvetes após as refeições.



terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

O Muro de Berlim


Em 1961, durante a guerra fria foi erguido o muro de Berlim para separar a parte que ficou sob a administração da União Soviética, das partes que ficaram sob a administração dos Estados Unidos, Inglaterra e França.
De um lado ficou a Alemanha Oriental do outro lado a Alemanha Ocidental.
Assim nasceu o muro de Berlin, que separou o povo de um país por 28 anos.
De 13-08-1961 à 09-11-1989.


"Pé esquerdo na parte da ex-Berlin Oriental e pé direito na parte da ex-Berlin Ocidental.
Em toda Berlin, onde existia o Muro, tem uma marca no chão. De um lado era Berlin Oriental e do outro lado era Berlin Ocidental".


 

 

 


Em 9 de novembro de 1989, com a crise do sistema socialista no leste da Europa e o fim deste sistema na Alemanha Oriental, ocorreu a queda do muro. Cidadãos da Alemanha foram para as ruas comemorar o momento histórico e ajudaram a derrubar o muro. O ato simbólico representou também o fim da Guerra Fria e o primeiro passo no processo de reintegração da Alemanha.  

Conheça 7 sinais que indicam a hora de mudar de emprego

18 de Fevereiro de 2014

Sair do trabalho atual sem algo novo arranjado ou em vista não é uma boa ideia

 
Atualmente, cada vez mais pessoas estão deixando seus postos de trabalho por vontade própria. Segundo informações da revista Time, 2,4 milhões de americanos deixaram seus empregos para buscar outras oportunidades em novembro passado. No entanto, sair do trabalho atual sem algo novo arranjado ou em vista não é uma boa ideia, de acordo com a publicação. Confira abaixo sete sinais que indicam a hora trocar de emprego, segundo a revista.

Você odeia o trabalho
Alguns trabalhos, especialmente quando você é mais jovem, são como trampolins para o seu emprego dos sonhos. Por isso, pensar no longo prazo é um bom termômetro para ver se você está no caminho certo. O profissional deve analisar o emprego de seu chefe ou superior, se a atividade for atraente ele estará no caminho correto.

É estressante o suficiente para deixá-lo doente
Se o trabalho afeta sua saúde física ou mental, seu relacionamento com o seu cônjuge ou membros da família, ele não vale a pena. Se a situação é essa, é hora de mudar.

Seu perfil x perfil da companhia
Você pode ter o melhor conjunto de habilidades no mundo, mas se você não combina com a organização, você não será bem sucedido. Assimilar uma cultura corporativa geralmente acontece nos primeiros meses no cargo. Se você está lá por seis meses ou um ano e ainda se sente como um estranho, as probabilidades são de que você sempre será.
 

Você tem um chefe infernal
A maioria das pessoas deixam seus trabalhos por conta de seus chefes. Se você já passou por crises envolvendo chefes ou pessoas da área de recursos humanos, o jeito é mudar de barco.

Você é extremamente qualificado
Quando o trabalho é tão rotineiro que poderia ser feito durante o seu sono é hora de procurar outras oportunidades. Primeiro, veja se há chances de crescer dentro da empresa, caso não haja, é hora de seguir em frente.

Você é convidado para fazer algo antiético ou ilegal
Mesmo que você não seja pego fazendo nada de errado ainda pode haver repercussões psicológicas: ao longo do tempo é comum que funcionários adotem a ética das empresas ou a falta dela. 

Situação financeira instável
Se você está preocupado como a companhia é dirigida e sua posição não parece mais segura, é hora de buscar outro emprego. Fusões e aquisições são momentos importantes para avaliar se a empresa ainda precisa de você.
 
Terra

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Justiça decide que FGTS pode ser usado para pagar pensão alimentícia

O tempo
O juiz federal Gláucio Maciel decidiu restabelecer a sentença que autorizou o levantamento do saldo do FGTS de um trabalhador de Santa Catarina para pagamento de pensão alimentícia

iG Minas Gerais | Da redação |

 

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pode ser usado por trabalhadores para pagamento de pensão alimentícia. A decisão, tomada durante um julgamento realizado em Brasília nesta quarta-feira (12), é da Turma Nacional de Uniformização (TNU) dos Juizados Especiais Federais.
A Constituição prevê que o saldo do FGTS só pode ser utilizado em casos específicos, como a demissão sem justa causa e o financiamento para compra de imóveis.
No entanto, o juiz federal Gláucio Maciel decidiu restabelecer a sentença que autorizou, após uma ação de investigação de paternidade, o levantamento do saldo do FGTS de um trabalhador de Santa Catarina para pagamento de pensão alimentícia.
O magistrado entendeu que os critérios citados na lei têm caráter de exemplo e que o saque do FGTS pode ser feito em situações que não estejam previstas na legislação. Segundo ele, a necessidade de alimentos está relacionada à dignidade humana e ao direito à vida, garantido pela Constituição.
 
iG

Trabalho: carga horária real x ideal

Por dia, a carga horária de trabalho ideal é de 6 a 7 horas

Quem nunca fez hora extra que atire a primeira pedra. Aquele "chorinho" depois do horário para terminar alguma tarefa, responder um e-mail ou marcar uma reunião para o dia seguinte.
PublicidadE quando isso vira um hábito? Muitas vezes exageramos e a diferença entre quanto trabalhamos para quanto deveríamos trabalhar, extrapola (muito!) o ideal.

Por dia, a carga horária de trabalho ideal é de 6 a 7 horas. Mesmo assim, muitos contratos já prevêem tarefas além desse período. A coisa fica ainda pior quando as pessoas cobram demais de si próprias, fato que acontece muito mais com as mulheres, como indicou Pedro Eduardo Rodrigues, coach de carreira e consultor de imagem.
"A mulher assume, desde sua inserção no mundo acadêmico ao espaço corporativo, diversos papéis que, quando comparados aos dos homens, superam a carga horária ideal", explica Rodrigues.
O profissional continua: "Com grandes jornadas de trabalho, a mulher torna-se sedentária e não consegue tempo para cuidar de sua saúde". Além, claro, dos diversos problemas psicológicos que podem ser trazidos pelo estresse diário.
Rodrigues recomenda que as pessoas alinhem sua carreira com a vida pessoal pretendida. "Utilizo comumente uma ferramenta chamada ‘Roda da Vida’, na qual eu e a cliente analisamos juntos alguns aspectos, como: relacionamento familiar, social e espiritual, saúde, trabalho e vida financeira", diz o coach.
Nessa análise, o índice de satisfação no aspecto financeiro costuma ser alto, mas os demais tópicos costumam conter índices baixíssimos de contentamento.
Faça o teste
Além da carga que consta em seu holerite, pense em quantas horas você realmente trabalha diariamente. Compare com o ideal de, no máximo, 7 horas por dia. Quantas horas você trabalha a mais que o indicado? Uma, três, cinco? Depois de organizar essa equação, questione a si mesma se isso é, de fato, necessário para que você seja plenamente feliz, se você precisa ultrapassar seus limites para ser competente.
"Na maioria das vezes, é preciso abrir mão de uma intensa jornada de trabalho ou de um cargo de alta gestão que demanda tempo em viagens, reuniões e compromissos extras", alerta o consultor. E não há qualquer problema em não ser chefe de uma sessão. Não é demérito algum. Muito pelo contrário, se você estiver feliz.
Se não puder abrir mão de um cargo, que tal fazer parte da sua jornada em casa, praticando o home office? Você pode acordar cedo, mandar alguns e-mail e marcar compromissos enquanto toma café com seus filhos e se prepara para levá-los à escola.
Repense as prioridades e o quanto vale se sacrificar por alguns reais a mais ou um status mais alto. Às vezes, o simples ato de pegar os filhos na escola e conversar com eles antes de chegar em casa pode ser muito mais proveitoso que um zero a mais na conta bancária.

Terra

Decisões politicas tomadas do passado chegaram ao Supremo Tribunal Federal, que volta a julgar a perda dos planos econômicos na semana que vem



Divulgação/STF
Pleno do STF em 2013: Tribunal, que volta a julgar os planos econômicos na próxima semana, também terá de avaliar perdas do FGTS

O Supremo Tribunal Federal (STF) está incumbido de dar vida ou enterrar definitivamente três esqueletos que, nos cálculos mais alarmistas, podem tomar a forma de R$ 422 bilhões: a correção do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pela inflação, as perdas da poupança
 causadas pelos planos economicos e a desaposentadoria  – possibilidade de renunciar a uma aposentadoria para tentar uma mais vantajosa.
Todos decorrem de decisões políticas tomadas no passado, geraram cerca de 422 mil processos, e chegaram à mais alta Corte do Brasil nos anos 2000 – a última, na semana passada.
“Até o passado no Brasil é incerto, e isso não é algo muito positivo [para a economia do País]”, afirma o pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (IBRE/FGV), Fernando de Holanda Barbosa Filho, sobre as perdas da poupança, cujo julgamento será retomando na semana que vem.


Planos: ideia boa, execução nem tanto

No caso, os poupadores alegam ter sido prejudicados pelos planos Verão, Bresser e Collor 1 e 2, editados pelo governo para coibir a superinflação. A ideia até era certa. O problema foi a forma como foi efetivada, avalia Rodrigo De Losso da Silveira Bueno, professor associado do Departamento de Economia da Universidade de São Paulo (USP).
“Com os planos, o que a gente resolveu fazer: vamos corrigir por 50% da inflação do período e não 100%. Do ponto de vista econômico, isso é justo. Mas por uma falha de comunicação, não é visto como justo”, afirma o economista.
Caso o STF decida a favor dos poupadores, o Banco Central (BC) estima que a conta ficará em R$ 150 bilhões e deverá ser arcada pelos bancos. Esses, porém, muito provavelmente, as instituições financeiras buscariam ser indenizadas pelo governo, com o argumento de que apenas cumpriram a legislação.
“O governo diz que [a adoção dos planos] foi para garantir a estabilidade, evidentemente prejudicando parte da correção monetária. Os que tiveram prejuízo decorrente dessa manipulação entendem que o governo é sempre responsável. Pela Constituição, o governo é sempre responsável”, afirma o jurista Ives Gandra Martins, sobre os poupadores.

Para especialistas, passado do FGTS deveria ser esquecido

A mudança do FGTS também está relacionada às políticas para controlar a alta de preços. A Taxa Rerencial (TR), criada em 1991 para substituir a inflação como critério atualização monetária, passou a ser usada para fazer a correção dos saldos do fundo. Desde 1999, entretanto, a taxa tem ficado muito abaixo da inflação, o que leva à corrosão do poder de compra do dinheiro do trabalhador.
Depois que o STF decidiu, em março do ano passado, que a TR não serve como índice de correção de precatórios (dívidas judiciais do governo com a população), milhares de trabalhadores foram à Justiça para pedir a aplicação do mesmo entendimento ao FGTS. Até janeiro deste ano, a Caixa Econômica Federal já era alvo de 39 mil ações.
Na semana passada, o partido Solidariedade, de oposição, apresentou uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra a TR e a favor de um índice inflacionário. Nos cálculos do Instituto FGTS Fácil, a troca resultaria num esqueleto de R$ 203,4 bilhões para o governo, e num reajuste de cerca de 102,3% para saldos que estavam em vigor em janeiro de 1999.
Os economistas Bueno e Barbosa Filho entendem que a fórmula deve, de fato, ser corrigida, mas questionam o pagamento retroativo.
“[O rendimento com a fórmula atual] é de fato um rendimento negativo para o trabalhador”, afirma Barbosa Filho, do Ibre/FGV. “[Mas] talvez fosse mais racional discutir para a frente: fazer o cálculo de forma retroativa, como as coisas tendem a ser feitas, podem gerar problemas muito graves.”

Desaposentação é a ameaça mais real para o governo, vê economista

A desaposentação também surge de um problema na legislação, avalia Bueno, da USP. Em 1999, o governo criou o fator previdenciário, um pedágio que reduz o benefício de acordo com a idade e o tempo de contribuição do trabalhador.
O objetivo da medida era desestimular aposentadorias precoces, mas os trabalhadores continuaram a se aposentar cedo. Como continuavam a trabalhar e a contribuir para a Previdência, foram à Justiça para pedir um recálculo do benefício com base nas novas condições.
O caso gerou 24 mil ações, das quais duas chegaram ao STF, onde o ministro Marco Aurélio de Mello já deu voto favorável. Nos cálculos oficiais, se o Tribunal der o sinal verde para a medida, a Previdênica terá um impacto de R$ 69 bilhões no longo prazo. Assim como o caso do FGTS, não há prazo para o julgamento
Para Bueno,  é justamente nesse caso que reside a maior ameaça para o governo.
“O FGTS vai virar precatório. Você vai receber daqui a três gerações se isso acontecer de verdade, então não preocupa tanto. No caso da desaposentação é imediato", afirma. "No caso da poupança dos bancos se eles perderem eles vão negociar os pagamentos [aos poupadores] num prazo meio longo e aí vão entrar contra o governo em seguida. E aí vai ser uma batalha jurídica que vai durar vários anos."

iG

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Justiça analisa novo cálculo para corrigir FGTS; saiba quem tem direito


     

Trabalhadores com dinheiro no fundo a partir de 1999 podem mover ações individuais ou coletivas

 
A Justiça Federal do Rio Grande do Sul começou a analisar neste mês de fevereiro uma ação que pede a mudança do índice que corrige o rendimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Especialistas dizem que a decisão terá repercussão nacional, mas o trabalhador que quiser ser beneficiado terá que entrar com seu próprio pedido na Justiça.

Desde 1999, a Taxa Referencial (TR), que é utilizada no cálculo do benefício, tem sido menor do que a inflação. Isso fez com que a Defensoria Pública entrasse com o pedido de mudança. A TR é calculada com base na média dos juros adotados pelos 30 maiores bancos do mercado e conta com revisão trimestral.

“Um cidadão que 15 anos atrás tivesse R$ 10 mil no fundo, hoje contaria com R$ 19,8 mil, mas essa cifra deveria ser de pelo menos R$ 40,1 mil”, diz o presidente da ONG Instituto FGTS Fácil, Mário Avelino. A entidade desenvolveu até uma ferramenta de cálculo dos recursos devidos do fundo e uma cartilha sobre o assunto.

​Avelino explica que todas as pessoas com dinheiro no fundo a partir de 1999 podem entrar com uma ação contra a Caixa Econômica Federal por meio de um advogado ou ações coletivas com no mínimo dez trabalhadores.

A defensora pública titular de área de direitos humanos e tutelas coletivas de Porto Alegre Fernanda Hahn, que assina a ação, explica que o processo de entrada individual ou coletiva na Justiça é permitido agora ou depois que o tema seja julgado, mas alerta que esse trâmite pode levar anos. “Muitas pessoas estão vendendo os processos contra a Caixa como receita para que os reajustes sejam pagos imediatamente, e é importante ter em mente que isso não vai acontecer nesta velocidade”.

Em nota, como operadora legal do FGTS, a Caixa informou cumprir integralmente o que determina a legislação, que prevê multa caso o banco descumpra as regras legais. Das 48.246 ações em que se defendeu sobre o assunto, a instituição teve decisões favoráveis em 22.798 casos. A Caixa disse que recorrerá de "qualquer decisão contrária referente ao fundo de garantia".
 
Terra

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Viagem de trem de Londres a Paris (Eurotúnel)

 

 

Viagem de trem de Londres para París, muito emocionante, incrível.
Belas paisagens da janela do trem.
Uma parte da viagem, paisagens da Inglaterra outra paisagens da França.
Em determinado momento da viagem o trem entra num túnel, onde atravessa o canal da mancha.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014


  

Estátua de Sherlock Holmes em Baker Street(Londres)

Estátua do famoso detetive Sherlock Holmes, em Baker Street (Londres), Personagem de ficção da Literatura  Britânica.Sherlock Holmes ainda hoje é um dos mais atraentes personagens dos romances policiais. Carismático e astuto, fez do método científico e da lógica dedutiva suas melhores armas.

 

A encantadora Torre Eiffel

 A Torre Eiffel é o monumento pago mais visitado do mundo, com 324 metros de altura e 10.000 toneladas de estruturas de aço.
Foi projetada pelo engenheiro francês Gustave Eiffel.
Foi construida para comemorar os cem anos da Revolução Francesa, onde foi inaugurada em 31 de março de 1889.
Abaixo algumas fotos deste Blogueiro em sua visita ao famoso monumento.

 
 Na foto acima, o Blogueiro com a Torre Eiffel ao fundo



 Vista panorâmica de Paris, a partir do último nível da Torre (Rio Sena, que corta Paris, ao fundo, à direita)



Nos restaurantes as reservas tem que ser feita com antecedência.A reserva é feita por toda a noite, para que as pessoas possam desfrutar de seu jantar e saborear um bom vinho com tranquilidade, deixando os seus sentidos serem absorvidos pela romântica e inspiradora atmosfera parisiense.De címa da torre durante a noite, devido a iluminação da cidade de París, o cenário é deslumbrante, indescritível, chega ser muito emocionante.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Visita do Blogueiro ao Museu do Louvre em Paris

Orgulho dos franceses, símbolo da Cultura Mundial, o Museu do Louvre, localizado em Paris, contém coleções de arte que vão desde a Cultura Antiga até a Moderna.

Parte externa do Museu com a famosa Pirâmide ao fundo


Galeria interna do Museu (área de Telas)

Galeria das Estátuas Antigas
     

Visita ao Palácio de Versailles na França.

 Antes de se tornar o Berço da Revolução a Cidade de Versailles foi Centro do poder Político na França
Foi criada por Louis XI
 
" Em frente ao Palácio de Versailles"

Alemanha o Paraíso das Cervejas

A Alemanha tem o título do país das cervejas.
Na Alemanha tem mais de cinco mil marcas de cervejas, contando as bebidas não-alcoólicas.
A cerveja é a terceira mais consumida depois da água e café.
As cervejas se classificam não só pelas cores sabores, aromas, mas também pelo teor alcoólicos.
Na hora do brinde, os alemães costumam se olhar no fundo dos olhos e chamar ”Prost”, a saúde ou tim - tim no Brasil.
Das várias cervejas que tomei, gostei do sabor de três, sendo que a "paulaner produzida em Munique", a melhor.

 


 

As três melhores cervejas que tomei e gostei.

Visita do Blogueiro a Londres

 

 Na capital do Reino Unido, Londres, uma das cidades mais vibrantes do planeta, muitas são as atrações a serem visitadas, mas nada me impressionou mais que a Tower Bridge, em português a Ponte da Torre. O seu aspecto medieval a faz parecer muito mais antiga do que os cento e poucos anos que realmente tem. Parece também ser atualmente uma mera atração turística, mas de fato é um componente prático muito importante no complexo e caótico trânsito londrino.
Importante monumento histórico da capital inglesa, a Ponte da Torre, localizada `as margens do Rio Tâmisa, ao lado da Torre de Londres, foi inaugurada em 1894.   

O Blogueiro junto à margem do Tâmisa, com a Ponte da Torre ao fundo

London Eye

Localizada às margens do Rio Tâmisa, próxima ao Parlamento Inglês, a London Eye é um dos cartões postais da cidade de Londres.

As 25 perguntas mais bizarras em entrevistas de emprego

    Candidatos tiveram que responder perguntas sobre pé grande, programa musical e pás de neves
 
Mariana Fonseca, quinta-feira, 13/02/2014
Entrevistas de emprego são sempre uma preocupação para quem está procurando uma nova oportunidade no mercado. Isso porque nunca se sabe o que o recrutador pode perguntar. Para comprovar a criatividade e a capacidade de improvisação dos entrevistadores, o Glassdoor, comunidade de empregos e carreira norte-americana, divulgou uma lista com as perguntas mais bizarras feitas em entrevistas de emprego em 2013.

Confira a lista:
1) Se você pudesse fazer um desfile no escritório, que tipo seria? (Zappos Family)
2) Você se considera sortudo? Por que e quanto? (Airbnb)
3) Se você fosse um entregador de pizzas, como você se beneficiaria de uma tesoura? (Apple)
4) Se você pudesse cantar uma música no 'American idol', qual seria? (Red Frog Events)
5) Você é mais caçador ou coletor? (Dell)
6) Se você fosse para uma ilha e pudesse levar somente três coisas, o que levaria? (Yahoo!)
7) Se você fosse uma caixa de cereais, onde estaria e por quê? (Bed Beath & Beyond)
8) Você acredita no Pé Grande? (Norwegian Cruise Line)
9) Por que a bola de tênis é felpuda? (Xerox)
10) Qual é a coisa que você menos gosta na humanidade? (ZocDoc)
11) Como você usaria o Yelp para encontrar o número de empresas nos Estados Unidos? (Factual)
12) O quanto você é honesto? (Allied Telesis)
13) Quantos metros quadrados de pizza são consumidos por ano nos Estados Unidos? (Goldman Sachs)
14) Você conseguiria instruir uma pessoa a como fazer o origami "cartomante de papel" apenas com palavras? (Living Social)
15) Se você tivesse 80 anos, o que falaria para seus filhos? (McKinsey & Company)
16) Se você fosse um lápis de cor dentro de uma caixa, que cor seria e por quê? (Urban Outfitters)
17) Como a internet funciona? (Akami)
18) Se um filme sobre sua vida fosse produzido, qual ator interpretaria você e por quê? (SinglePlatform)
19) Qual é a cor do dinheiro? (American Heart Association)
20) Qual foi o último presente que você deu para alguém? (Gallup)
21) Qual foi a coisa mais engraçada que aconteceu com você recentemente? (Applebee’s)
22) Quantas pás de neve foram vendidas nos Estados Unidos no último ano? (Taser)
23) É quinta-feira, e nós o recrutamos para um projeto de telecomunicações em Calgary, no Canadá. Seu avião e hotel já estão prontos e seu visto está pronto. Quais são as cinco coisas que você faz antes de viajar? (ToughtWorks)
24) Descreve o processo e os benefícios de usar cinto de segurança? (Active Network)
25) Você já esteve em um barco? (Applied Systems)

Terra

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Correção do FGTS chega ao Supremo Tribunal Federal

Partido apresenta ação em que busca atualização do fundo pela inflação em vez de pela Taxa Referencial
 
Vitor Sorano - iG São Paulo | - Atualizada às

 
A correção do Fundo de Garantia por tempo de serviço(FGTS), pela inflação chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF). O partido Solidaridade, de oposição, apresentou na tarde desta quarta-feira (12) uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) em que pede mudança imediata na forma de cálculo da atualização monetária do fundo, hoje feita pela Taxa Referencial (TR)
A ação será relatada pelo ministro Luís Roberto Barroso.
O novo processo deve acelerar a resolução de um embate que já gerou cerca de 40 mil ações contra a Caixa Econômica Federal (CEF), e que pode gerar reajustes de até 101% nos saldos do FGTS, além de um passivo bilionário para o governo, segundo cálculos do Instituto FGTS Fácil.

LEIA TAMBÉM:  Solidariedade levará correção do FGTS pela inflação ao STF.
“Creio que, com essa ação, foi dado um passo hiperlargo para a solução da questão, pois, é justamente essa declaração de inconstitucionalidade que precisamos para vencer os processos”, afirma o advogado Rafael Felisbino, que conseguiu uma das primeiras decisões favoráveis à revisão.
A Adin tem dois objetivos: suspender a correção do FGTS pela TR daqui para a frente; e derrubar para sempre a legislação que prevê a aplicação da taxa. Caso aceitos, esse segundo pedido abre espaço para a definição de uma nova forma de cálculo –  como o reajuste por um determinado índice inflacionário –, mas não garante uma devolução automática de diferenças devidas.
"Passa-se a ter uma decisão que reconhece o direito, mas a pessoa ainda ficará na dúvida sobre como deveria ser o reajuste. E, para isso, vai ter que entrar com ação individual", diz o advogado Ricardo Pereira de Freitas Guimarães, professor da pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo ( PUC-SP).
Guimarães cogita, inclusive, a possibilidade de que possa ocorrer uma tentativa de acordo por parte da Caixa Econômica Federal.
"Se houver a decisão do Supremo, pode-se partir par fixar o índice de forma extra-judicial."
 
TR tem perdido pela inflação desde 1999
A legislação determina que o FGTS seja corrigido pela TR. Desde 1999, entretanto, a taxa tem perdido para a inflação – o que leva a uma corrosão do poder de compra do dinheiro que o trabalhador tem no fundo.
O STF já decidiu que a TR não pode ser usada como parâmetro para correção monetária nos precatórios (dívidas que o governo tem com a população). A ação apresentada pelo Solidariedade quer que o mesmo entendimento seja aplicado, agora, ao FGTS.
A possibilidade, entretanto, ainda gera dúvidas. Responsável pela ação que levou ao fim da TR nos precatórios, o Conselho Federal do OAB ainda avalia se apoia ou não o fim da aplicação da taxa nos precatórios.
O ministro Barroso, que será o relator da Adin do Solidariedade, não se posicionou no julgamento dos precatórios – o que torna mais difícil saber se ele deve deve ser contrário ou a favor do fim da TR para o FGTS.
Um dos advogados do Solidariedade, entretanto, viu com bons olhos o fato de o ministro ter sido sorteado.
"O ministro Barroso já defendeu que há normas que nascem constitucionais e, com o tempo, se tornam inconstitucionais. A gente defende isso na ação [pois a TR só deixou de refletir a inflação a partir de 1999]", afirma Alysson Mourão.

Crédito imobiliário pode ficar mais caro, diz Caixa

A Caixa Econômica Federal não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários feitos pela reportagem. Em posicionamentos anteriores, argumentou que venceu a maioria absoluta das ações propostas até janeiro – 18 mil das quase 39 mil – e que possui posições favoráveis de três dos cinco Tribunais Regionais Federais.
O banco também tem alegado que a troca da TR por um índice inflacionário pode elevar os juros cobrados no crédito imobiliário que usa recursos do FGTS. Segundo cáculos apresentados à Justiça, as taxas subiriam de 6,66% a 8,66% ao ano para 12,5% a 14,6% ao ano.
Outro risco apresentado pelo banco é o de uma nova enxurrada de ações para pedir o fim da TR na correção de outras operações – dentre elas, a poupança.
"Uma vez afastada a TR (...) serão abertas as portas para questionamentos de todas as operações vinculadas ao referido índice", diz a Caixa num documento apresentado ao juiz da 1ª Vara Federal de Pouso Alegre (MG), que aceitou o pedido de correção do FGTS pela inflação.

iG

Museu de Cera em Londres

 


 
No museu de Cera entre os craques do futebol, Cristiano Ronaldo e David Beckham

HSBC é condenado em R$ 67,5 milhões por espionar empregados

Economia


atualizado às 09h09
 

Banco contratou uma empresa para investigar funcionários afastados por motivos de saúde, segundo Ministério Público do Paraná

O banco HSBC foi condenado, no último dia 7, a pagar indenização de R$ 67.500.000 por danos morais coletivos por ter espionado seus empregados entre os anos de 1999 e 2003. As informações são do Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR). A sentença foi proferida pela 8ª Vara do Trabalho de Curitiba.

De acordo com o MPT-PR, o banco contratou a empresa Centro de Inteligência Empresarial (CIE) para investigar funcionários afastados por motivos de saúde. O MPT-PR diz que doze testemunhas confirmaram dados sobre suas rotinas expostas em dossiês, mas não sabiam que eram investigados.
 

A pedido do HSBC, 152 pessoas, em diversos estados do Brasil, foram investigadas pela CIE. Segundo o MPT-PR, o método consistia em seguir os trabalhadores pela cidade, abordá-los com disfarces de entregador de flores e de pesquisador, além de mexer em seus lixos e entrar em suas casas.

“Trabalhadores foram investigados, tiveram suas vidas devassadas e seus direitos fundamentais à intimidade e à vida privada brutalmente violados”, disse Humberto de Albuquerque, procurador do trabalho responsável pela ação.

Além do pagamento da indenização, o HSBC foi condenado a não mais realizar investigações particulares ou qualquer outro ato que viole a vida privada de seus empregados e trabalhadores terceirizados, sob pena de multa no valor de R$ 1 milhão. Os trabalhadores investigados ainda podem entrar na Justiça do Trabalho para obter indenização individual por dano moral.

Em nota, o HSBC informou que, como se trata de uma decisão em primeira instância sujeita a recursos, não comentará o caso.
 
Terra

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Um Passeio de Bike pelas Ciclovias em Kiel na Alemanha

 

 
 Kiel: cidade à beira-mar e porta para o Mar Báltico.
Capital do estado de Schleswig-Holstein, Kiel foi durante muitos anos uma importante cidade portuária e naval, sendo marcada hoje por uma cena estudantil ativa, um estilo de vida despreocupado e o charme urbano.

"Eike foi um ilusionista", diz autor de livro sobre o empresário

"Ascensão e Queda do Império X" mostra que ex-bilionário enganou investidores; obra revela fracassos do começo de carreira e aponta a influência de Eliezer Batista, pai do ex-bilionário


Marília Almeida - iG São Paulo | - Atualizada às

Leia também: Como Eike, egocêntrico e vendedor de ilusões, afundou o Império X
 
Muito antes de criar o Império X, e até mesmo do fracasso da empresa de ouro que assumiu como sócio no Canadá, a TVX, o empresário Eike Batista ensaiava, com seus vinte e poucos anos, os primeiros passos nos negócios na mineração, e já montava o modelo que iria ser replicado em todas as empresas do Grupo EBX, bem como a influência de seu pai e os erros iniciais que o levaram do posto de maior milionário do País ao de maior perdedor.
 
Leia também: Como Eike, egocêntrico e vendedor de ilusões, afundou o Império X
Esse passado, desconhecido por muitos dos investidores do empresário, é apresentado pelo jornalista Sergio Leo no livro "Ascensão e Queda do Império X" (Editora Nova Fronteira), em fase de lançamento.
Ao longo do livro, que abrange toda a carreira do empresário, o autor compara, de forma crítica, informações contidas na autobiografia de Eike, e ressalta outras que foram omitidas ou pouco detalhadas. Para Leo, a crise do Grupo X é um caso empresarial sem precedentes no País. "Ele ensina muito sobre o capitalismo brasileiro e dá uma lição estrutural no mercado financeiro".

No início, a sombra de Eliezer
Eike Batista abandonou os estudos, com pouco mais de vinte anos, para explorar ouro no Brasil como intermediário e de olho no preço recorde do metal.
Aos 24 anos, inaugurou seu modelo de negócios. Baseado em seu carisma e poder de convencimento, atraiu os primeiros investidores Aaron e Mendel, joalheiros no Rio de Janeiro, que lhe confiaram US$ 500 mil para comprar ouro em Itaituba, no Pará. Após ser "traído" por um sócio local, segundo ele, e perder todo o dinheiro, conseguiu fazer com que os empresários lhe confiassem mais US$ 500 mil.

Sergio Leo não conseguiu comprovar se Aaron e Mendel tinham relações ou foram atraídos pela fama do pai de Eike, Eliezer Batista, ex-presidente da Vale e ex-ministro de Minas e Energia. Mas, posteriormente, fica clara que a influência e rede de contatos de seu pai foram a verdadeira mina de ouro dada ao filho, na visão do autor.

Leia também: Vida pós-calote: conheça a nova rotina do ex-bilionário Eike
A Paranapanema, que se tornaria sócia na primeira mina de Eike, adquirida com dinheiro que ganhou como intermediário, era de Otávio Lacombe, amigo de Eliezer desde o fim dos anos 1960, quando, juntos, ajudaram a fundar a Aracruz Celulose.
Posteriormente, Eike associou-se, em uma segunda mina, a Antônio Dias Leite Neto na empresa Companhia de Mineração e Participações. Leite Neto era filho do ex-ministro de Minas e Energia Antônio Dias Leite Júnior, que ajudaria Eliezer a abrir caminho para a criação da Aracruz Celulose. Ambos os pais faziam parte do conselho do negócio.


Leo ouviu, durante a apuração do livro, relatos de que Eliezer, ao longo da carreira do filho, buscou pessoalmente investidores para seus negócios. "Não seria surpreendente pensar que ele também fez isso no governo", conta. Desde as primeiras minas adquiridas, Eike já contava com financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

iG

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Vaso sanitário é o lugar mais sujo do banheiro



 

Andar descalço pelo banheiro, não lavar as mãos o suficiente e exagerar no xampu são erros listados pelo Huffington Post

O banheiro é o lugar da casa feito para que as pessoas se higienizem, certo! Mas alguns hábitos podem levar esse objetivo por água abaixo. Uma publicação feita pelo Huffington Post em parceira com a marca Cottonelle listou 11 erros comuns na hora de entrar no cômodo.  

Andar descalço pelo banheiro
O vaso sanitário é o lugar mais sujo do banheiro, certo? Errado. Um estudo publicado na ABC News mostra que o chão do banheiro abriga um número 200 vezes maior de bactérias. Por isso, não esqueça do par de chinelos.

Manter as escovas de dente próximas ao vaso sanitário
Um artigo da Universidade de Harvard mostrou que cada vez que alguém aperta a descarga, partículas vindas do vaso sanitário flutuam até 2 m. Por isso, feche a tampa do vaso antes de apertar a descarga, lave sua escova regularmente e a substitua sempre que for necessário. Vale lembrar ainda que cobri-la em um recipiente fechado e úmido pode aumentar o crescimento de microorganismos.

Reutilizar a toalha de banho várias vezes
Más notícias para quem adia o momento de lavar as toalhas. As bactérias se desenvolvem mais facilmente em ambientes úmidos. Por isso, quando você reutilizá-las, as bactérias podem ir direto do tecido para o seu corpo. “Se você tiver qualquer tipo de ferida, pode se infectar com tudo o que está na toalha”, alerta Elizabeth Scoot, co-diretora do centro de higiene e saúde do Simmons College. Ela recomenda mais de uma troca por semana.

Usar a mesma bucha de banho por muito tempo
De acordo com a dermatologista Birgit Toome, buchas vegetais não devem ser usadas por mais de  três ou quatro semanas. Um estudo mostra que bactérias causadoras de infecções, como a pseudomonas aeruginosa, aumentam consideravelmente após 24 horas de exposição a uma bucha natural. As opções do tipo sintético são mais resistentes às bactérias, mas, ainda assim, o indicado é substituí-las após oito semanas de uso.


Não lavar as mãos o suficiente
Lavar as mãos é uma das formas mais eficazes para reduzir a propagação de doenças infecciosas de acordo com o Center dor Disease Control. O problema é que a maioria das pessoas não faz isso da forma correta. Um estudo da Universidade Estadual de Michigan mostrou que 95% das pessoas gastam menos de 15 segundos para lavar as mãos. O recomendado é gastar 20 segundos.

Não usar uma cortina com tamanho ideal no box
Quando a cortina do box não se encaixa perfeitamente no espaço indicado, sobrando muito tecido nas laterais ou bordas, favorece o acúmulo de mofo e bolor na aglomeração do plástico. O ideal é cortá-lo para que fique do tamanho certo.

Usar a mesma esponja para tudo
Você usa a mesma esponja para limpar o chuveiro, espelhos, pia e vaso sanitário? Se a resposta for positiva, saiba que o hábito facilita a troca de bactérias entre os ambientes. O indicado é ter uma esponja para cada lugar e substituí-la por uma nova com frequência.

Uso de produtos químicos tóxicos para limpar
As pessoas limpam o banheiro para matar e evitar bactérias causadoras de doenças, mas não se dão conta que alguns produtos de limpeza podem ser ainda mais prejudiciais para a saúde do que certos germes. Alguns produtos químicos tóxicos podem causar problemas graves, como câncer e cegueira. Fique atento.

Excesso de xampu
Diminua a quantidade de xampu. O couro cabeludo produz óleos essenciais para a pele, que funcionam como um “condicionador natural”, segundo a dermatologista Zoe Draelos. No entanto, o excesso de xampu retira essas substâncias. "A menos que você sue muito durante o trabalho ou tenha um couro cabeludo excessivamente oleoso, você não precisa de  xampu todos os dias", aconselhou Zoe.

Papel higiênico em vez de ducha
Sempre que possível, tome um banho após evacuar. Se estiver em lugar público, uma alternativa é optar por lenços umedecidos e garantir a higiene íntima.

Utilizar errado o vaso sanitário
“A postura ideal para defecar é cócoras, com as coxas fixas sobre o abdômen”, de acordo com a publicação Bockus’s Gastroenterology. Um estudo mostrou que, além de aliviarem a pressão abdominal, indivíduos que têm esse hábito evacuam 79 segundos mais rapidamente que os demais.
 
Terra

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Justiça decide que FGTS pode ser usado para pagar pensão alimentícia

 

  O juiz federal Gláucio Maciel decidiu restabelecer a sentença que autorizou o levantamento do saldo do FGTS de um trabalhador de Santa Catarina para pagamento de pensão alimentícia
 
iG Minas Gerais | Da redação |
 
O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pode ser usado por trabalhadores para pagamento de pensão alimentícia. A decisão, tomada durante um julgamento realizado em Brasília nesta quarta-feira (12), é da Turma Nacional de Uniformização (TNU) dos Juizados Especiais Federais.
A Constituição prevê que o saldo do FGTS só pode ser utilizado em casos específicos, como a demissão sem justa causa e o financiamento para compra de imóveis.
No entanto, o juiz federal Gláucio Maciel decidiu restabelecer a sentença que autorizou, após uma ação de investigação de paternidade, o levantamento do saldo do FGTS de um trabalhador de Santa Catarina para pagamento de pensão alimentícia.
O magistrado entendeu que os critérios citados na lei têm caráter de exemplo e que o saque do FGTS pode ser feito em situações que não estejam previstas na legislação. Segundo ele, a necessidade de alimentos está relacionada à dignidade humana e ao direito à vida, garantido pela Constituição. 
 
 

 

Escolas devem ensinar que é divertido aprender, afirma Salman Khan


 

O fundador da Khan Academy defende o ensino personalizado e o uso da tecnologia para transformar as salas de aula do mundo nos próximos 10 'É divertido aprender matemática e física', afirma fundador da Khan Academy 

Ele não tem formação em pedagogia, não dá lições presenciais em escolas e, em suas aulas, trata de temas complexos – chatos, até – que normalmente são o terror dos estudantes: geometria, aritmética, trigonometria. Números, números e mais números. A forma como Salman Khan apresenta esses problemas matemáticos (e de física, e outros tantos assuntos, especialmente na área de exatas), porém, é diferenciada. Inovadora. Capaz de atrair mais de 300 milhões de alunos em lições online que, de tão populares, hoje são traduzidas para diversos idiomas – inclusive o português. A contribuição do professor mais famoso da internet, no entanto, vai além das aulas. E muito além do ambiente virtual.

Fundador da Khan Academy, uma organização sem fins lucrativos que se dedica à elaboração de videoaulas divulgadas gratuitamente na internet, esse matemático americano defende uma revolução no ensino. Uma mudança em todo o sistema da educação. Proposta que passa, em primeiro lugar, pelo professor: pela forma de ensinar – mas envolve ainda a adequação de escolas às novas tecnologias, à mudança de hábitos dos alunos e à consequente necessidade de levar interatividade para a sala de aula. Assim, seria possível avançar ainda mais: com maior integração aos estudantes, teria início o ensino personalizado em cada instituição de ensino. E essa realidade, acredita ele, está próxima.
 

Aquela aula expositiva, com alunos sentados em carteiras e um quadro negro à frente, com um professor palestrando em pé ao longo de uma hora e pouco espaço para a solução de dúvidas, é criticada por Salman Khan. As lições monótonas, com estudantes em um papel passivo e sem individualidade, com mestres acostumados à mesma rotina em classe após classe, são também condenadas por ele – que ficou conhecido por lições virtuais rápidas, mas profundas, e uma atraente informalidade na maneira de abordar temas de difícil assimilação. Quando têm dificuldade em aprender um certo tema, são essas aulas que os estudantes procuram. Por que não garantir isso a eles dentro da escola?

"É precisar ocorrer uma mudança de mentalidade. Todos nós, quando fomos à escola – incluindo a maior parte dos professores –, sentamos na classe, havia uma carteira, um quadro-negro, e o professor dava uma palestra. Então ficou programado nas nossas mentes que é este o papel do professor: chegar todo dia, fornecer algumas informações, talvez dar nota a alguns trabalhos, e no outro dia fornecer mais algumas informações, talvez dar nota a alguns trabalhos... e assim continuar", analisa Khan em entrevista ao terra.. "É uma mudança de mentalidade sair disso para o que, acreditamos, é uma habilidade de mais valor: diagnosticar onde cada estudante está, intervir, levá-los a projetos mais ricos, a discussões mais ricas, e utilizar ferramentas como a Khan Academy para facilitar isso."

Aulas online: 'é divertido aprender'

 Mesmo fora da sala de aula, Sal – como o professor costuma ser chamado – descobriu que muitos estudantes buscam aprender mais, se aprofundar no conteúdo apresentado no colégio ou apenas revisar o que não entenderam durantes as aulas. Dezenas de milhões pessoas buscam o conhecimento divulgado por ele, e não por imposição dos pais ou da escola. Estão ávidos por aprender, por ir além do que lhes foi apresentado na classe, por revisar matérias em que têm dificuldade – conteúdos que às vezes nem fazem parte do currículo escolar. O que os atrai? São as abordagem simples sobre assuntos complexos, as lições rápidas, a paciência com que explica cada aspecto de determinada matéria?

"É engraçado porque investimos muito em software, em mecânica de jogos e tudo o mais, mas se formos realmente à base de tudo, ao que deixa as pessoas animadas, ao porquê de se conectarem à Khan Academy, percebemos que ela faz os alunos sentirem que esses conceitos que antes pareciam difíceis, que os faziam parecer estúpidos, são, na verdade, acessíveis. Eles veem que são capazes de aprender, e que isso é até divertido. Penso que todo ser humano, quando começa a sentir que consegue entender alguma coisa, que é capaz de dominar um assunto, começa a aproveitar aquilo. Acho que isso se aplica a matemática, a física ou a qualquer outra coisa", avaliou Salman.

Khan Academy e a tecnologia nas escolas

 O professor mais conhecido do mundo fala animado sobre o desafio de ensinar. Algo que, para ele, passou de um hobby para um projeto de vida. É com a mesma informalidade e abordagem simples daqueles primeiros vídeos que fez para ajudar os primos a tirarem melhores notas que ele explica álgebra, probabilidade e termodinâmica para uma infinidade de alunos. Não é exagero dizer que a academia de Sal ajudou a redefinir o papel da tecnologia na educação – mostrando como ensinamentos feitos com o auxílio de recursos digitais conseguem atrair mais estudantes e manter a atenção deles mesmo com temas de difícil aprendizado.Qualidade do ensino não é refletida em tempo de aula, diz Salman Khan 

"O acesso à tecnologia ainda é um ponto de interrogação para muitas escolas e muitas famílias. Creio que tem sido um ponto de interrogação porque as pessoas sempre disseram: 'por que temos que fazer isso? O que as crianças vão obter se você der a elas um computador, um tablet para estudar? Espero que nós tenhamos conseguido responder a essa pergunta: 'bem, aqui está o recurso para estudantes aprenderem no próprio ritmo, fornecer dados aos professores para entenderem em que ponto os alunos estão e, depois disso, levar os estudantes ainda além do que o software consegue ir."

Formado em matemática, com mestrado em engenharia elétrica e ciência da computação pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT) – presença constante no topo de rankings internacionais que avaliam as melhores universidades do mundo –, a trajetória de Salman Khan pode servir de inspiração para muitos, mas ele acredita que sua contribuição à educação deve ir mais longe: além de motivar, transformar. É a possibilidade de ensinar tanto filhos de milionários quanto crianças carentes, de ser o professor dos filhos de Bill Gates e de jovens da Mongólia que o motiva a continuar seu projeto.

"Mesmo nos primeiros dias, foi isso o que me motivou. Agora os números ficaram muito maiores, e é difícil para o cérebro processar, mas quando recebo uma carta quero fazer mais e mais. Na organização, temos reuniões em que avaliamos 'bem, neste mês tivemos 10 milhões de novos usuários, no outro foram 7 milhões, então crescemos bastante', mas esses são só números. De vez em quando recebemos um vídeo ou uma carta de um desses 10 milhões dizendo 'eu iria ser reprovado em tal matéria' ou 'minha filha odiava matemática e agora ama'. Quando recebemos algo assim, lemos em frente a toda a companhia porque nos ajuda a perceber que essas são pessoas de verdade, e que esse é um impacto real na vida delas. Até mesmo uma só pessoa que diga isso já faz tudo valer a pena."

Terra

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Um Passeio de Bike pelas Ciclovias em Kiel na Alemanha

 
 Kiel: cidade à beira-mar e porta para o Mar Báltico.
Capital do estado de Schleswig-Holstein, Kiel foi durante muitos anos uma importante cidade portuária e naval, sendo marcada hoje por uma cena estudantil ativa, um estilo de vida despreocupado e o charme urbano.

Museu de Cera em Londres


 
No museu de Cera entre os craques do futebol, Cristiano Ronaldo e David Beckham
Parte do muro de Berlin, hoje!
 


 



O Muro de Berlin:

Durante 28 anos, de 1961 a 1989, a população de Berlim, ex-capital do Reich alemão, com mais de três milhões de pessoas, padeceu uma experiência ímpar na história moderna: viu a cidade ser dividida por um imenso muro. Situação de verdadeira esquizofrenia geopolítica que cortou-a em duas partes, cada uma delas governada por regimes politicos ideologicamente inimigos. Abominação provocada pela guerra fria, a grosseira parede foi durante aqueles anos todos o símbolo da rivalidade entre Leste e Oeste, e, também, um atestado do fracasso do socialismo real em manter-se como um sistema atraente para a maioria da população alemã.


As Primeiras Pedras:

 

 

Na manhã bem cedo do dia 13 de agosto de 1961, a população de Berlim, próxima à linha que separava a cidade em duas partes, foi despertada por barulhos estranhos, exagerados. Ao abrirem suas janelas, depararam-se com um inusitado movimento nas ruas a sua frente. Vários Vopos, os milicianos da RDA (República Democrática da Alemanha), a Alemanha comunista, com seus uniformes verde-ruço, acompanhados por patrulhas armadas, estendiam de um poste a outro um interminável arame farpado que alongou-se, nos meses seguintes, por 37 quilômetros adentro da zona residencial da cidade. Enquanto isso, atrás deles, trabalhadores desembarcavam dos caminhões descarregando tijolos, blocos de concreto e sacos de cimento. Ao tempo em que algum deles feriam o duro solo com picaretas e britadeiras, outros começavam a preparar a argamassa. Assim, do nada, começou a brotar um muro, o pavoroso Mauer, como o chamavam os alemães.


Divisão Original:
 
 
Berlim fora conquistada pelo Exército Vermelho em maio de 1945. De comum acordo, acertado pelo tratado de Yalta e confirmado pelo de Potsdam, entre 1944-45, não importando quem colocasse a bota ou a lagarta do tanque por primeiro na capital do III Reich, comprometia-se a dividi-la com os demais aliados. Desta maneira, apesar dos soviéticos tomarem antes a cidade, e também um expressivo território ao seu redor, tiveram que ceder o lado ocidental dela para os três outros membros da Grande Aliança, vitoriosa em 1945. Assim Berlim viu-se administrada, a partir de 8 de maio de 1945, em quatro setores: o russo, majoritário, o americano, o inglês e o francês. Com o azedar da relação entre os vencedores, em 1948 as quatro zonas reduziram-se a duas: a soviética e a ocidental. Em seguida, Stalin decidiu-se por um bloqueio total contra a cidade em represália ao Plano Marshall, que visava promover o reerguimento econômico da Europa destroçada pela guerra. Todas as estradas de rodagem e de ferro que ligavam Berlim com a Alemanha Ocidental foram então fechadas pelos soviéticos, na tentativa de fazer com que os aliados ocidentais desistissem da sua parte na cidade. Ou saíam ou os berlinenses morreriam de fome e frio.

Danno