segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Visita ao Castelo de Chambord

Localizado no vale do Loire a 200 Km de Paris.
O castelo de chambord, possui a arquitetura que fez dele o castelo de todos os exageros.
Com 156 metros de comprimentos, 56 metros de altura, 77 escadas, 282 chaminés e 426 divisões.
Contudo, apesar de suas dimensões colossais, o castelo seduz sempre pela sua beleza, graça e pelo seu equilíbrio.
A sua ornamentação é uma das obras-primas da renascença francesa.
Está inscrito na lista do patrimonio mundial da unesco.
O vale do Loire, onde ele está localizado, é uma das regiões mais bonitas da França.




"Doação Muda" de livros na Alemanha

Durante o tempo em que morei na Alemanha, tomei conhecimento de uma prática muito interessante: em determinados equipamentos públicos, como praças, parques etc., a prefeitura coloca à disposição da população estantes, nas quais as pessoas podem deixar os livros que já leram, para que outras pessoas peguem...

Fiquei impressionado com essa iniciativa, uma espécie de "doação muda"*, que faz com que a circulação de livros aumente, e, o melhor de tudo, a custo zero...

Perto da residência onde eu morava havia uma dessas estantes, e pensei então em colocar alguns livros que tinha levado para a leitura durante minha permanência. Exitei, pois não sabia se haveria interesse em livros escritos em português. Resolvi porém. arriscar, e coloquei na estante três livros que havia levado, e já terminado de ler...

Para minha surpresa, algumas semanas após ter colocado os livros na estante eles não estavam mais lá...Algum leitor ou alguns leitores de língua portuguesa os haviam levado. Não tenho como saber quem os levou: pode ter sido um ou alguns leitores brasileiros, portugueses, naturais de outro país de língua portuguesa ou mesmo algum alemão ou natural de outro país que tenha português como sua segunda língua...Jamais saberei. O que sei é que essa interessante iniciativa tornou possível que eu compartilhasse, na Alemanha, livros em língua portuguesa.

Abaixo, registro do dia em que coloquei um dos livros na estante.







*utilizo o termo "doação muda" sob inspiração do "comércio mudo" que havia em alguns povos antigos; nessa forma de comércio, um grupo deixava os bens que queria trocar em um local, e então saía. Um segundo grupo vinha e depositava os bens que queria ofertar em troca dos bens ofertados pelo primeiro grupo, depositando-os no mesmo local. Após a saída do segundo grupo, o primeiro grupo voltava e estudava a oferta do segundo grupo; se aceitasse a oferta, pegava os bens ofertados e ia embora; se negasse, pegava os seus bens de volta e ia embora.

A ilusão do bom emprego vitalicio, acabou

Os cenários mundial e brasileiros não são nada agradáveis para quem almeja um emprego fixo, com carteira assinada.
Devemos perceber que daqui para a frente os trabalhos das pessoas não serão longos, de muitos anos na mesma empresa, serão temporários de espaço curto e de poucos benefícios.
Antes um trabalhador entrava em uma empresa, fazia carreira até se aposentar, hoje, a coisa é bem diferente, mudou de figura.
A rotatividade é grande em função do novo cenário no mundo coorporativo, do novo modelo apresentado no mercado de trabalho.
A ilusão do bom emprego vitalicio nas empresas está com os dias contados, chegando ao fim, por isso é muito importante que o trabalhador use a criatividade.
O trabalhador pode até sonhar com dias melhores no emprego, mas não pode perder a noção da realidade que estamos vivendo.
Em razão da crise econômica que se instalou no país, o desemprego está em alta, as empresas a conta - gotas, mandam todos os dias, vários de seus funcionários embora, levando um caos aos seus familiares e a cidade que moram.
Essas demissões geram uma instabilidade muito grande aos trabalhadores que ainda estão empregados, gerando um clima organizacional muito ruim nas empresas, de muita insegurança e tristeza.
Um funcionário de uma empresa para desenvolver bem sua função com boa produtividade, tem que ter segurança, motivação e tranquilidade, óbvio, que vendo as constantes demissões que acontecem, cai o seu desempenho.
Vejo a crise do desemprego como uma grande oportunidade que o trabalhador tem de largar um trabalho alienado.
Ao se verem obrigados a deixarem o emprego, as pessoas irão descobrir a si mesmas, novas habilidades e novas oportunidades em suas vidas.
Com isso, deverão estar buscando e encontrando novas formas de prestar trabalhos, que as façam mais felizes e garantam sua sobrevivência.
Ao contrário do que muitos pensam e imaginam, a crise e o desemprego podem ser uma solução para o trabalhador tomar as rédeas do seu próprio destino e abrir o seu próprio negocio.
Essa é a grande mudança que se inicia.

Cristóvão Martins Tôrres

Liechtenstein, um Minusculo Principado no Centro da Europa

No inverno, o país atrai quem gosta de esquiar, pois de dezembro a março, os Alpes ficam cobertos de neve. Nos outros meses a temperatura fica mais amena e convida àqueles que gostam de fazer trilhas caminhando ou de bicicleta. A época mais quente vai de julho a setembro.






domingo, 29 de setembro de 2019

Liechtenstein, entre a Áustria, a Leste e a Suíça a Oeste

Encravado nos Alpes , entre a Áustria, a leste e a Suíça a oeste...
Sua capital é Vaduz...
País pequeno que tem uma área de 160 km quadrados e uma população de 40.000 habitantes...




Liechtenstein, País que tem um Príncipe Regente

Se você viajar para a Suíça tem que conhecer Liechtenstein! O 4º menor país da Europa também faz fronteira com a Áustria e é cercado pelos Alpes. A moeda oficial do país é o Franco Suíço e o idioma o Alemão. Caso você nunca tenha ouvido falar de Liechtenstein, aqui vai uma lista de 10 curiosidades sobre o local:

1. A população total do país é de menos de 40 mil habitantes. Sua maior cidade, Schaan, tem menos de 5.800 habitantes.

2. É possível alugar o país (sim, você leu certo!) por US$ 70.000 por noite. O rapper Snoop Dogg tentou alugar o país para um vídeo mas não foi autorizado porque não confirmou com antecedência.

3. O número de empresas e comércio registrados em Liechtenstein é maior que o seu número de habitantes, principalmente porque as taxas são muito mais reduzidas que outros países europeus.

4. A maioria dos habitantes do país não tranca as portas devido ao baixo índice de criminalidade. O último assassinato no país, entretanto, ocorreu em 2014, quando um habitante local matou um banqueiro depois de perder uma fortuna de mais de 200 milhões de Reais (53 milhões de Francos).

5. Assim como Mônaco, Liechtenstein é um Principado e tem uma família real. A realeza de Liechtenstein vive no Castelo de Vaduz, na capital do país.

6. Liechtenstein é considerado um paraíso fiscal. Em uma tentativa de melhorar sua transparência em relação à taxas, assinou um acordo com os Estados Unidos.

7. Liechtenstein não possui exército.

8. Por ser cercado por montanhas, Liechtenstein é perfeito para a prática de esportes de inverno.

9. Cerca de 50 mil turistas visitam Liechtenstein por ano, o que é maior que sua população local.

10. Atrativos culturais  como castelos e museus são os mais visitados por turistas.

A máxima "tamanho não é documento" se ajusta com perfeição a Lichtenstein. Minúsculo e poderoso. É um dos países mais ricos do mundo. Produz excelentes vinhos e queijos. É governado por um monarca durão que mora do topo de uma colina, num castelo gótico. Famoso por ser um paraíso fiscal. Já conseguiu conquistar muitas medalhas olímpicas nas edições de inverno dos jogos.




Memorial do Holocausto em Berlin

 São 2.711 colunas espalhadas pelo arquiteto Peter Eisenman, que servem como metáfora do horror.
O memorial é um grito silencioso à memória aos judeus mortos durante a segunda guerra.
Ocupa o centro das atenções de uma Alemanha que procura se retratar ao mundo, a sua vergonha..


 

A ilusão do bom emprego vitalicio, acabou

Os cenários mundial e brasileiros não são nada agradáveis para quem almeja um emprego fixo, com carteira assinada.
Devemos perceber que daqui para a frente os trabalhos das pessoas não serão longos, de muitos anos na mesma empresa, serão temporários de espaço curto e de poucos benefícios.
Antes um trabalhador entrava em uma empresa, fazia carreira até se aposentar, hoje, a coisa é bem diferente, mudou de figura.
A rotatividade é grande em função do novo cenário no mundo coorporativo, do novo modelo apresentado no mercado de trabalho.
A ilusão do bom emprego vitalicio nas empresas está com os dias contados, chegando ao fim, por isso é muito importante que o trabalhador use a criatividade.
O trabalhador pode até sonhar com dias melhores no emprego, mas não pode perder a noção da realidade que estamos vivendo.
Em razão da crise econômica que se instalou no país, o desemprego está em alta, as empresas a conta - gotas, mandam todos os dias, vários de seus funcionários embora, levando um caos aos seus familiares e a cidade que moram.
Essas demissões geram uma instabilidade muito grande aos trabalhadores que ainda estão empregados, gerando um clima organizacional muito ruim nas empresas, de muita insegurança e tristeza.
Um funcionário de uma empresa para desenvolver bem sua função com boa produtividade, tem que ter segurança, motivação e tranquilidade, óbvio, que vendo as constantes demissões que acontecem, cai o seu desempenho.
Vejo a crise do desemprego como uma grande oportunidade que o trabalhador tem de largar um trabalho alienado.
Ao se verem obrigados a deixarem o emprego, as pessoas irão descobrir a si mesmas, novas habilidades e novas oportunidades em suas vidas.
Com isso, deverão estar buscando e encontrando novas formas de prestar trabalhos, que as façam mais felizes e garantam sua sobrevivência.
Ao contrário do que muitos pensam e imaginam, a crise e o desemprego podem ser uma solução para o trabalhador tomar as rédeas do seu próprio destino e abrir o seu próprio negocio.
Essa é a grande mudança que se inicia.

Cristóvão Martins Tôrres

Romper com o Passado e Crescer com a Empresa

Na mineração que trabalhei por vários anos, vivenciei a introdução da qualidade total na empresa.
Foi um processo muito demorado, onde demandou muitos treinamentos aos colaboradores, mas que valeu a pena, porque o crescimento foi geral; da empresa e dos colaboradores.
Para conseguirmos os certificados das ISOS, tivemos que passar por muitos treinamentos.
ISO 9000, ISO 9001, ISO 9002,  ISO 14000.
Veja abaixo o lado técnico e o lado humano do controle:
A metodologia da qualidade total fundamenta-se no estabelecimento de um conceito de qualidade, que atualmente é mais amplo que há alguns anos atrás.
Qualidade não é somente um produto encaixar-se nas especificações estabelecidas pelo cliente.
Uma empresa só pode sobreviver dentro de uma sociedade se for para contribuir para a satisfação das necessidades das pessoas, este é seu objetivo principal.
Na qualidade a primeira prioridade da empresa são os consumidores.
É vital para a empresa que eles sintam satisfeitos por um longo período após a compra de um produto ou utilização do seu serviço.
Um segundo tipo de pessoas afetadas na empresa é o colaborador.
A empresa deve se esforçar para pagar-lhe bem, respeitando como ser humano e dando oportunidade de crescimento, dando-lhes treinamentos constantes.
Um terceiro tipo de pessoa afetada pela empresa é o acionista.
Numa sociedade de economia livre a empresa deve ser lucrativa de tal forma a poder pagar seus dividendos a seus acionistas, isso é muito importante.
Aos vizinhos da empresa devem ser respeitados através do controle ambiental, evitando-se que a empresa polua o meio ambiente.
Qualidade total são todas aquelas dimensões que afetam a satisfação das necessidades das pessoas, e a sobrevivência da empresa.
Na empresa a qualidade é uma filosofia de administração essencialmente participativa, onde seus pressupostos básicos são: Todos pensam, todos devem colaborar, todos podem.
O controle é exercido por todos os colaboradores da empresa, de forma harmônica e metódica.
Essa  é a essência da qualidade total na empresa .
É o verdadeiro objetivo de qualquer organização humana: satisfação das necessidades de todas as pessoas.
Inovar promovendo o crescimento da empresa através do crescimento daqueles que formam, especialmente seus colaboradores que encontram na qualidade do trabalho uma fonte de alegria e muita satisfação.

OBS- Na introdução da qualidade total na empresa que trabalhei, aprendemos que a preocupação com a sobrevivência da empresa deve ser acrescida e perpetuada a longo prazo.
Assumir novas práticas de administrar voltadas para a construção do futuro da empresa, aliada a satisfação dos seus colaboradores, clientes e seus acionistas. 
Está envolvido com a qualidade total é uma nova postura dos colaboradores na empresa.

Cristovão Martins Torres

sábado, 28 de setembro de 2019

Lindau é uma cidade-ilha encantadora no Lago de Constança

A cidadezinha mais famosa do Bodensee tem o centro histórico em uma ilha bem pequena dentro do lago. Essa parte histórica de Lindau é lindíssima..
Fiquei encantado com a beleza do Porto e da cidade murada de Lindau. 
Vale a pena passar uma ou duas noites para apreciar a cidade e fazer a travessia para a Áustria ou Suíça.






Lindau e o Lago Constança

Localizado na fronteira entre Alemanha, Suíça e Áustria, o Bodensee, o maior lago da Europa Ocidental (conhecido como Lago de Constança, em português) é o centro de férias de alemães, suíços e austríacos.A área que cerca o lago é uma das mais belas da Alemanha, tanto em atrações naturais quanto em valor cultural.
A Igreja principal da cidade fica na mesma praça do Stadtmuseum, museu da cidade com uma fachada imponente.













A cidade de Lindau, é certamente uma das mais interessantes cidades alemãs banhadas pelo Bodensee, e que por incrível que pareça, pertence ao estado da Baviera.

Os últimos dias de Imannuel Kant


Um opúsculo, do superior literato da língua inglesa, Thomas De Quincey, segundo Jorge Luis Borges, passível de ser lido numa curta viagem, vem de ser amplamente divulgado entre nossas letras: "Os últimos dias de Imannuel Kant".

Numa fase embrionária e experimental da medicina - séculos XVIII e XIX - os sofrimentos humanos eram terríveis, sobretudo quando se inseria o homem na inevitável senectude. A ponto de De Quincey ter ficado dependente, relativamente, do ópio, para aliviar lancinantes dores de dente, algo comum em sua época.

Às insuportáveis dores de Kant em seus últimos dias, juntam-se pequenas falas, balbuciantes e brilhantes, a exemplo, muito próximo do fim, ao tratar com lhaneza todos os que o cercavam e ainda proferir uma de suas históricas máximas morais: não cairei ao extremo mais baixo da escala humana, mesmo próximo à morte, faltando com a cortesia. Outro episódio: a um empregado que o serviu por próximo de 40 anos, mas nada exemplar, só o demitiu depois de muitas considerações e, ainda assim, com uma régia compensação, não obrigatória na época. Algum tempo depois, ao receber dele um pedido de carta de referência de emprego, não a deu, como de hábito, mas descreveu as exatas condutas - entre boas e más - do servidor.

A verdade absoluta que o velho filósofo defendia intransigentemente, como se vê de sua "Crítica da razão pura". Apenas aquiesceu em revogar um testamento, em que pedia o mínimo de pessoas em seus funerais, para atender às expectativas da academia de Konigsberg, em cuja cadeira sucedeu a Lieibniz, ambos por quarenta anos de atenção a seus discípulos. O féretro demandou dez dias, passou por várias igrejas até a Catedral final, onde estão sepultados os homens de gênio.

No momento brasileiro atual, o contraste da mensagem ética arrepia, embora também tenhamos nossos Kants.

Amadeu Garrido de Paulaé Advogado, sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados.

Serventia na Mineração

Na mineração em que trabalhei tive a oportunidade de vivenciar, na década de 90, a implantação de um programa de qualidade total com ferramentas de gestão e métodos de trabalho desenvolvidos no japão.
Foi um dos fatos de maior influência cultural nas empresas brasileiras nos últimos tempos.
O modelo de pensar e agir no ambiente de trabalho sofreu grandes mudanças e a busca de inovação passou a ser o principal desafio.
As pessoas foram envolvidas em um período de muito treinamento e logo tomaram consciência de que o aspecto humano da qualidade é a essência dessa filosofia de administração.
E cada um tem que estar apto a dar o melhor de si na execução de uma tarefa.
Isso significa que as pessoas são desafiadas em sua competência e inteligência para almejar o crescimento do seu nível de capacitação profissional.
O primeiro passo é enxergar que a qualidade pessoal representa um dos valores mais importantes da vida.
E que há sempre uma distância significativa entre a qualidade desejada, e que deve ser perseguida em nossa jornada da vida, e aquela que a gente expressa no comportamento do dia a dia.
A sabedoria está em aprender o caminho para chegar lá, e seguir sempre nessa direção.
Um estudo da força de trabalho no país revelou que grande parte dos entrevistados admitiram que poderiam ser mais eficientes do que estavam sendo no momento, mas se davam satisfeitos com o nível bom, o suficiente para lhes garantir o emprego.
Acontece que o mundo atual procura por uma mão de obra que vá além do desempenho comum, e que seja excelente naquilo que pode fazer.
Aquele que não seguir essa evolução vai perder espaço no mercado de trabalho.
Por outro lado, aquele que melhorar a sua qualidade pessoal ganha em valorização profissional, diminui os erros, inspira a confiança dos clientes e cria condições para realizar os desejos pessoais e da família.
Isso vale para o prestador de serviços autônomos e para quem trabalha numa pequena loja, em uma empresa ou em um órgão público.
Para se ter uma ideia do que se pode alcançar com a aplicação dos conceitos de qualidade total em uma organização, cabe citar que durante vários anos, depois da segunda guerra mundial, os produtos manufaturados do japão eram depreciados em razão da baixa qualidade.
E foi a prática da qualidade total nas empresas que ajudou a impulsionar a industria do país e tornou-se um fato importante para conquistar a confiança dos produtos japoneses no mercado mundial.
E com a revitalização da economia japonesa, o conceito de qualidade total foi difundido para o mundo inteiro.

Cristóvão Martins Torres

Catedral de Notre Dame em Paris

"Catedral de Notre-Dame"

Nessa catedral pude assistir parte de uma missa em Latim (língua morta).
Nenhum país utiliza o latim, por isso é considerada língua morta.
O latim deu origem a várias línguas, dentre elas; Francês, Espanhol, Italiano e Português.

A Catedral de Notre Dame testemunhou alguns dos grandes eventos da história francesa, tais como a coroação de Napoleão como imperador em 1804 e a beatificação de Joana D’Arc em 1909 (representada em uma estátua no interior da igreja). Também está guardado em seu relicário nada menos que a suposta coroa de espinhos de Jesus Cristo, exibida aos visitantes na primeira sexta-feira de cada mês.

Currículo não é mais ferramenta para conseguir emprego

Recrutadores já não estão mais interessados no currículo dos entrevistados. Para encontrar o candidato ideal é preciso ouvir sobre experiências anteriores, como ele lida com trabalho em grupo, muito mais do que uma folha de papel tem a dizer. Hoje, ter um currículo bonito e bem escrito significa pouco na hora de ser contratado.
É comum que as pessoas, ao se prepararem para procurar um emprego, preocupem-se muito em fazer um documento bonito e completo, porque faz sentido usar o currículo como um facilitador para escolher bons candidatos. Em um processo de seleção com muitas pessoas pode ser um bom método para selecionar pessoas mais preparadas.
Porém, isso só vale para processos ou fases que não tem entrevistas, porque dificilmente o melhor candidato para a vaga será achado apenas pelo currículo. Esse meio de contratação é o último recurso que deve ser usado. Outros meios como recomendações internas, conexões pelo LinkedIn, conversas por redes sociais são usados por caçadores de candidatos.
Ter contatos também é mais significativo do que ter um bom currículo. Conhecer alguém importante pode abrir muitas portas no meio profissional e é possível conseguir um emprego sem apresentar nenhum tipo de documento. Para quem está contratando é melhor chamar alguém de confiança para trabalhar na empresa do que confiar apenas no que um papel diz.
Apostar que um currículo será a chave para ser contratado é enganar a si mesmo. Um papel não consegue transmitir entusiasmo, energia, liderança, capacidade de resolver problemas e, mesmo que possa, ele ainda precisa se diferenciar de tantos outros. Ser contratado apenas pelo documento é mais uma questão de sorte do que de reconhecimento de talento.
Atualmente, os trabalhos não são sobre quem se descreve melhor, mas sobre quem entende as limitações de se apresentar em um pedaço de papel.

Forbes Brasil

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Engolir sapo e chutar Balde

O tema não é novidade, o assédio moral é um processo contínuo de desqualificação de um individuo sobre o outro, no trabalho.
Entendemos como assédio moral no trabalho, toda conduta abusiva manifestada, por palavras, atos, comportamentos ou gestos, que podem prejudicar a dignidade ou a integridade física e psíquica de alguém.
Hoje está muito comum esta prática, em algumas empresas.
Tem até uma lei sobre assédio moral, mas ninguém a respeita.
Vejo isto como um despreparo de quem a pratica.
É um fenômeno novo que só veio para destruir o ambiente de trabalho, tendo como conseqüência uma perda enorme para a empresa e para o colaborador afetado.
Afeta muito a produtividade do colaborador que é vitima, e aumenta o número de afastamentos médicos, absenteísmo.
Chega ser assustador e desumano este tratamento dispensado do gerente ao seu subordinado.
Acontece na maioria das vezes quando um colaborador reage ao autoritarismo do chefe.
Nas empresas, em sua maioria isto passou acontecer com certa freqüência, uma vez que o colaborador com medo de ser dispensado, querendo manter o seu emprego aceita esta situação.
O chefe agressor normalmente é uma pessoa que não sabe dialogar, que se acha sempre com a razão, que só ele sabe pensar, se sente um Deus na organização, enfim é um despreparado para o cargo que ocupa.
Normalmente é algum supervisor que foi colocado como gerente, na linguagem popular é chamado de jabuti.
O subordinado não pode opinar, tendo que fazer sempre o que o chefe manda.
Atende mais ao chefe do que ao cliente.
Na minha vida profissional deparei com alguns casos de assédio moral.
Conheço um caso onde o colaborador foi afastado do cargo que ocupava, sem que fosse dada a ele uma explicação plausível do seu afastamento, ou mesmo o direito de defesa.
Neste caso a pessoa afastada do cargo foi colocada em uma área sem nenhum desafio, e o que é pior, fora da sua área de atuação.
Mesmo assim ele se saiu muito bem, embora insatisfeito com o descaso, desrespeito e agressão que sofreu.
Estes gerentes na sua maioria não conhecem boas maneiras e não tem habilidades interpessoais.
Normalmente são pessoas que não tiveram referência familiar.
É aquela história, a má ação fica para quem faz, quem a pratica.
Conhecem muito de processo, mas nada de sentimento humano, gente.
São autênticos desastres em matéria de lidar com pessoas, confundem poder com autoridade.
Liderança não é poder, e sim autoridade conquistada com dedicação e respeito pelas pessoas.
O gerente esquece que a vida dá muitas voltas.
As empresas gastam tempo, esforço e dinheiro para preparar um gerente, por maior que seja este esforço que se faça, com esta cultura de administrar, os colaboradores acabam por não confiar na liderança.
A maioria dos psicólogos concorda que a personalidade se desenvolve e se consolida aos seis anos de idade.
Todos nós conhecemos pessoas cujo caráter não é coerente com a personalidade, na minha vida profissional conheci várias com este perfil.
É o que diz o filósofo grego Sócrates; O caminho mais grandioso para viver com honra neste mundo é ser a pessoa que fingimos ser.
Assim são alguns chefes, travestidos de Gerentes que conheci, infelizmente.

Cristóvão Martins Torres