quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Serventia na Mineração

Na mineração em que trabalhei tive a oportunidade de vivenciar, na década de 90, a implantação de um programa de qualidade total com ferramentas de gestão e métodos de trabalho desenvolvidos no japão.
Foi um dos fatos de maior influência cultural nas empresas brasileiras nos últimos tempos.
O modelo de pensar e agir no ambiente de trabalho sofreu grandes mudanças e a busca de inovação passou a ser o principal desafio.
As pessoas foram envolvidas em um período de muito treinamento e logo tomaram consciência de que o aspecto humano da qualidade é a essência dessa filosofia de administração.
E cada um tem que estar apto a dar o melhor de si na execução de uma tarefa.
Isso significa que as pessoas são desafiadas em sua competência e inteligência para almejar o crescimento do seu nível de capacitação profissional.
O primeiro passo é enxergar que a qualidade pessoal representa um dos valores mais importantes da vida.
E que há sempre uma distância significativa entre a qualidade desejada, e que deve ser perseguida em nossa jornada da vida, e aquela que a gente expressa no comportamento do dia a dia.
A sabedoria está em aprender o caminho para chegar lá, e seguir sempre nessa direção.
Um estudo da força de trabalho no país revelou que grande parte dos entrevistados admitiram que poderiam ser mais eficientes do que estavam sendo no momento, mas se davam satisfeitos com o nível bom, o suficiente para lhes garantir o emprego.
Acontece que o mundo atual procura por uma mão de obra que vá além do desempenho comum, e que seja excelente naquilo que pode fazer.
Aquele que não seguir essa evolução vai perder espaço no mercado de trabalho.
Por outro lado, aquele que melhorar a sua qualidade pessoal ganha em valorização profissional, diminui os erros, inspira a confiança dos clientes e cria condições para realizar os desejos pessoais e da família.
Isso vale para o prestador de serviços autônomos e para quem trabalha numa pequena loja, em uma empresa ou em um órgão público.
Para se ter uma ideia do que se pode alcançar com a aplicação dos conceitos de qualidade total em uma organização, cabe citar que durante vários anos, depois da segunda guerra mundial, os produtos manufaturados do japão eram depreciados em razão da baixa qualidade.
E foi a prática da qualidade total nas empresas que ajudou a impulsionar a industria do país e tornou-se um fato importante para conquistar a confiança dos produtos japoneses no mercado mundial.
E com a revitalização da economia japonesa, o conceito de qualidade total foi difundido para o mundo inteiro.

Cristóvão Martins Torres

Literatura intimista é lançada em São Paulo

Karina Manasseh retorna ao Brasil em novembro exclusivamente para o lançamento da obra "Entre Cabul e Dança das Borboletas", na Livraria da Vila
O lançamento da obra Entre Cabul e a Dança das Borboletas, da jornalista Karina Manasseh, está marcado para o próximo dia 12, às 18h30, na Livraria da Vila, em São Paulo. A autora decola de Washington, D.C, com destino ao Brasil exclusivamente para o lançamento do seu primeiro livro, publicado pela Editora Edite.
Numa narrativa envolvente, sob o olhar de Karina Manasseh, surge Maria, uma diplomata inquieta que na busca pelo desapego total se perde entre dois caminhos. A autora passeia por uma série de lugares mais habituais, como São Paulo, Washington, Roma, Paris e Londres. Mas, também leva o leitor a destinos mais exóticos, como Índia, Afeganistão, deserto de Thar ou a cidade de Islamabad, no Paquistão.
São nesses locais que Maria conhece um homem pelo qual se apaixona e que a faz revisitar as razões que a levaram a deixar para trás a bagagem emocional familiar e questionar escolhas e modo de vida. João é advogado de uma empresa multinacional, casado e com dois filhos pequenos. Ele administra uma vida estável em São Paulo com as viagens pelo mundo a serviço da empresa. O surpreendente encontro desses personagens e o romance que se segue dão o pano de fundo para embalar a história de autoconhecimento de Maria.
Além da temática cativante, a leitura da obra torna-se ainda mais agradável com a intertextualidade usada por Karina. Sempre há uma música ou um trecho literário citado pela autora que enriquece o clima de romance e descobertas.
SERVIÇO:
Lançamento:
 Entre Cabul e a Dança das Borboletas
Dia: 12 de novembro (terça-feira)
Local: Livraria da Vila – Alameda Lorena, 1731 – São Paulo
Horário: 18h30
Ficha TécnicaTítulo: Entre Cabul e a Dança das Borboletas
Autor: Karina Manasseh
Sinopse: Cabul, Afeganistão, princípio do século XXI: um sonho possível ou uma esperança de fuga? Para Maria, personagem principal da obra Entre Cabul e a Dança das Borboletas, a cidade exótica é promessa de liberdade, mas talvez o preço seja alto demais. O romance entre Maria e João é pano de fundo para a abordagem de assuntos distintos: gastronomia, viagens, cultura, história, política e economia de outros países são temas que se alinhavam por uma intensa história de amor. A impossibilidade do relacionamento, a solidão, os desencontros, os ciúmes e a espera são elementos concretos e bem dosados por meio de encontros fortuitos, mas românticos e atemporais, que criam uma relação complexa entre os amantes. A narrativa é fluida e estruturada de forma a prender e provocar o interesse o leitor.
Sobre o autor: Nascida em São Paulo, Karina Manasseh é jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero, com mestrado em Estudos Latino-Americanos e Ciências Políticas pela Universidade de Georgetown, em Washington, D.C., onde reside com a família. A literatura sempre foi uma paixão e um refúgio para a autora. Entre Cabul e a Dança das Borboletas é o primeiro romance de Karina.

Engolir sapo e chutar Balde

O tema não é novidade, o assédio moral é um processo contínuo de desqualificação de um individuo sobre o outro, no trabalho.
Entendemos como assédio moral no trabalho, toda conduta abusiva manifestada, por palavras, atos, comportamentos ou gestos, que podem prejudicar a dignidade ou a integridade física e psíquica de alguém.
Hoje está muito comum esta prática, em algumas empresas.
Tem até uma lei sobre assédio moral, mas ninguém a respeita.
Vejo isto como um despreparo de quem a pratica.
É um fenômeno novo que só veio para destruir o ambiente de trabalho, tendo como conseqüência uma perda enorme para a empresa e para o colaborador afetado.
Afeta muito a produtividade do colaborador que é vitima, e aumenta o número de afastamentos médicos, absenteísmo.
Chega ser assustador e desumano este tratamento dispensado do gerente ao seu subordinado.
Acontece na maioria das vezes quando um colaborador reage ao autoritarismo do chefe.
Nas empresas, em sua maioria isto passou acontecer com certa freqüência, uma vez que o colaborador com medo de ser dispensado, querendo manter o seu emprego aceita esta situação.
O chefe agressor normalmente é uma pessoa que não sabe dialogar, que se acha sempre com a razão, que só ele sabe pensar, se sente um Deus na organização, enfim é um despreparado para o cargo que ocupa.
Normalmente é algum supervisor que foi colocado como gerente, na linguagem popular é chamado de jabuti.
O subordinado não pode opinar, tendo que fazer sempre o que o chefe manda.
Atende mais ao chefe do que ao cliente.
Na minha vida profissional deparei com alguns casos de assédio moral.
Conheço um caso onde o colaborador foi afastado do cargo que ocupava, sem que fosse dada a ele uma explicação plausível do seu afastamento, ou mesmo o direito de defesa.
Neste caso a pessoa afastada do cargo foi colocada em uma área sem nenhum desafio, e o que é pior, fora da sua área de atuação.
Mesmo assim ele se saiu muito bem, embora insatisfeito com o descaso, desrespeito e agressão que sofreu.
Estes gerentes na sua maioria não conhecem boas maneiras e não tem habilidades interpessoais.
Normalmente são pessoas que não tiveram referência familiar.
É aquela história, a má ação fica para quem faz, quem a pratica.
Conhecem muito de processo, mas nada de sentimento humano, gente.
São autênticos desastres em matéria de lidar com pessoas, confundem poder com autoridade.
Liderança não é poder, e sim autoridade conquistada com dedicação e respeito pelas pessoas.
O gerente esquece que a vida dá muitas voltas.
As empresas gastam tempo, esforço e dinheiro para preparar um gerente, por maior que seja este esforço que se faça, com esta cultura de administrar, os colaboradores acabam por não confiar na liderança.
A maioria dos psicólogos concorda que a personalidade se desenvolve e se consolida aos seis anos de idade.
Todos nós conhecemos pessoas cujo caráter não é coerente com a personalidade, na minha vida profissional conheci várias com este perfil.
É o que diz o filósofo grego Sócrates; O caminho mais grandioso para viver com honra neste mundo é ser a pessoa que fingimos ser.
Assim são alguns chefes, travestidos de Gerentes que conheci, infelizmente.

Cristóvão Martins Torres

"Doação Muda" de livros na Alemanha

Durante o tempo em que morei na Alemanha, tomei conhecimento de uma prática muito interessante: em determinados equipamentos públicos, como praças, parques etc., a prefeitura coloca à disposição da população estantes, nas quais as pessoas podem deixar os livros que já leram, para que outras pessoas peguem...

Fiquei impressionado com essa iniciativa, uma espécie de "doação muda"*, que faz com que a circulação de livros aumente, e, o melhor de tudo, a custo zero...

Perto da residência onde eu morava havia uma dessas estantes, e pensei então em colocar alguns livros que tinha levado para a leitura durante minha permanência. Exitei, pois não sabia se haveria interesse em livros escritos em português. Resolvi porém. arriscar, e coloquei na estante três livros que havia levado, e já terminado de ler...

Para minha surpresa, algumas semanas após ter colocado os livros na estante eles não estavam mais lá...Algum leitor ou alguns leitores de língua portuguesa os haviam levado. Não tenho como saber quem os levou: pode ter sido um ou alguns leitores brasileiros, portugueses, naturais de outro país de língua portuguesa ou mesmo algum alemão ou natural de outro país que tenha português como sua segunda língua...Jamais saberei. O que sei é que essa interessante iniciativa tornou possível que eu compartilhasse, na Alemanha, livros em língua portuguesa.

Abaixo, registro do dia em que coloquei um dos livros na estante.







*utilizo o termo "doação muda" sob inspiração do "comércio mudo" que havia em alguns povos antigos; nessa forma de comércio, um grupo deixava os bens que queria trocar em um local, e então saía. Um segundo grupo vinha e depositava os bens que queria ofertar em troca dos bens ofertados pelo primeiro grupo, depositando-os no mesmo local. Após a saída do segundo grupo, o primeiro grupo voltava e estudava a oferta do segundo grupo; se aceitasse a oferta, pegava os bens ofertados e ia embora; se negasse, pegava os seus bens de volta e ia embora.

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Visita ao Palácio de Versailles


" Em frente ao Palácio de Versailles"

"A entrada do Palácio de Versailles"

"Dentro do Palácio, no Salão dos Espelhos, onde eram realizadas as festas reais"

"No jardim do Palácio"

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Tiago Maranhão, grande apresentador do Troca de Passes, grande jornalista

Uma Década Platinada

"No esporte, fiz todas aquelas coberturas que o garoto que sonhava um dia se tornar repórter esportivo poderia desejar". 

Basta você acreditar que nada acontece por acaso, lá na frente a vida vai te mostrar o porque disso...
Grande Jornalista, grande apresentador esportivo...
Todas as noites assisto ao programa comandado por ele, Troca de Passes...
Vai fazer muita falta...entende tudo de esporte...sabe tudo de futebol...
Grande profissional do jornalismo...
Dessa nova geração de jornalistas esportivos, no nosso país, gosto de dois; Tiago Maranhão e André Hernan...
Para mim os melhores em atividade, hoje...
Lamento muito sua saída do SporTv...

É preciso refazer os caminhos, começar a sermos menos intolerantes

Não há nada de novo no que escrevo, nem tenho a pretensão de mudar ninguém.
Quero apenas falar sobre uma prática que vem acontecendo frequentemente em nossa sociedade, e que, a meu ver, merece uma reflexão crítica: a intolerância.
Intolerância religiosa, de cor ou raça, politica, no futebol, no trabalho, no trânsito, no casamento ou em relação à opção sexual não nos leva a nada.
A intolerância dos "línguas soltas", que diz o que querem, quando lhe convém, num rosário de mentiras,
Que com sua pobreza de espirito, vão criando factoides, de coisas falsas contra suas vítimas, também, não acrescenta nada, não leva a lugar algum.
Não é segredo para ninguém que a nossa cidade tem muitos desses.
A falta de tolerância com a diversidade de posições e opiniões está tornando o dialogo impossível entre as pessoas.
As vezes chega-se à agressão física, sobretudo no trânsito, nos estádios e na politica.
Quem torce por um clube diferente do meu ou tem preferencia por um partido politico diferente do meu não é meu inimigo: ele só tem uma preferência diferente da minha.
Precisamos eliminar a intolerância de nossas vidas.
Temos que aprender a respeitar quem pensa diferente.
Todo esforço para mudar isso é muito válido.
A intolerância nos enfraquece, porque conviver com pessoas diferentes nos faz crescer.
O respeito às liberdades individuais e coletivas faz parte da vida humana, mas, infelizmente, a intolerância tem se tornado prática comum entre as pessoas.
Presenciei esse comportamento por três décadas na mineração, quando trabalhava.
No quotidiano do trabalho aprendi muito, presenciei fatos de diversos tipos e, infelizmente, algumas vezes percebi intolerância entre as pessoas.
A intolerância é muito preocupante, porque influencia profundamente a forma como nos relacionamos com os outros.
Uma sociedade amadurecida tem que estar sempre comprometida com o respeito entre as pessoas.

Cristóvão Martins Torres

Aos meus sete leitores: um bom conselho vale ouro

Um dito popular bem antigo e bastante utilizado por quem aceita bons conselhos: se conselho fosse bom ninguém dava de graça.
Contrariando isso um cantor e compositor disse em uma letra de suas músicas: ouça um bom conselho que eu dou de graça.
Ao contrario do que muita gente pensa, as pessoas não nascem sabendo. O aprendizado se dá, ao longo da vida, com ajuda de gente experiente.
O aprendizado é contínuo.
Tive a felicidade de conviver, ao longo dos anos de minha vida, com pessoas de grande sabedoria, que além de me dar preciosos conselhos, transformaram minha forma de pensar, agir e enxergar a vida.
Esses conselheiros, que na sua maioria eram familiares, alguns amigos, professores, colegas de escola, namoradas, alguns chefes e colegas de trabalho que tive ao longo dos anos em que trabalhei, transformaram para melhor a minha vida.
Diziam eles: ame a vida como ela é, perdoe sempre, amigos não tem defeitos, não desista de seus sonhos, não fale dos outros pois a língua é o chicote do corpo, escute mais e fale menos, seja sempre humilde, fique longe de politica, você não tem vocação para a politica, não guarde ressentimentos, não fique preso ao passado, tente sempre ser melhor a cada dia, somos todos diferentes por isso pensamos de forma diferente, leia tudo que puder, é preciso estar sempre se atualizando, a informação não é nossa portanto seja um multiplicador de suas informações, transforme suas dificuldades em oportunidades, seja persistente sempre, ouça os conselhos das pessoas experientes e aprenda com eles, não fique remoendo erros do passado, cometa novos erros.
Um conselho paterno que não esqueço: é bem melhor servir que ser servido.
Um conselho materno, que me marcou muito: o que você faz de graça, ganha em graça.
Cada conselho que recebemos é sempre um convite à reflexão.
São mensagens vindas de pessoas que, de certa forma, guiaram minhas atitudes e decisões na vida, portanto, mexeram muito com minha cabeça.
Na verdade somos uma usina de pensamentos, não existe diferenças no universo da inteligência.
Na adolescência detestava escrever, agora escrevo por puro prazer.
Vale lembrar o pensamento de Albert Einstein “ Procure ser uma pessoa de valor, em vez de procurar ser uma pessoa de sucesso. O sucesso é consequência”.

Obs: Recebi um telefonema de um cidadão, que optou por não se identificar, dizendo que tenho, no máximo, sete leitores. Quero dizer a esse cidadão que se eu tiver um leitor, dou-me por satisfeito.

Cristóvão Martins Torres

A Bola Virou Poder

O futebol teve seu início em 1860, na Inglaterra, berço do capitalismo. Na época, os patrões perceberam que o proletariado se interessava por esse esporte, e investiram nele.
Para impedir a expansão dos organismos sindicais e políticos, investiram no futebol, como uma forma de substituir a ideologia.
No futebol as pessoas constroem suas identidades através das paixões.
Por isso ele se tornou tão importante em todo o mundo.
Por essa razão, os partidos políticos, em vários países do mundo e sobretudo aqui no Brasil, cada vez mais recebem atletas como candidatos, e de uns tempos para cá até mesmo alguns dirigentes de clubes largaram o esporte e migraram para a política.
A maioria dos atletas e dirigentes esportivos que migra para a política usa, na carreira política, a influência do esporte. Aproveitam a popularidade obtida com o futebol para se eleger, usando a simpatia que adquiriram, junto à opinião pública, com o esporte, e apresentando plataformas políticas ligadas ao esporte.
A busca por uma vaga na carreira política não raramente é vista por alguns ex-esportistas como uma espécie de "aposentadoria".
No país do futebol, a bola virou poder!

Cristóvão Martins Torres

O Jogo na Capoeira

Oh... Berimbau... A Capoeira nasceu, no Brasil, do século XVII; foi desenvolvida pelos escravos como forma de proteção e hoje desempenha um papel essencial, promovendo a igualdade e a cidadania, pois na capoeira todos têm oportunidades iguais. Foi cantada pelo grande Vinícius de Moraes...
Engana-se quem acha que no exterior o Brasil é visto como o país do futebol.
De uns anos para cá, ele é visto como o país da capoeira, também.
A capoeira nasceu como o movimento de resistência a escravidão e  ganhou o mundo, com muitos adeptos.
Quem pratica a capoeira melhora seu condicionamento físico e sua saúde mental.
Ela é uma mistura de música, dança, luta, jogo, religiosidade etc.
É "jogada" nos mais diversos lugares e situações, muitas vezes ligadas a movimentos educacionais, sociais e culturais.
Os capoeiristas desenvolvem suas atividades em escolas, áreas comunitárias, e na sede de associações e clubes, atuando juntos a crianças e adultos.
A aprendizagem acontece através da observação da execução dos movimentos por capoeiristas mais experientes.
A roda de capoeira constitui um espaço de tempo em que o corpo está intensamente em festa, libertando a alma!
Na capoeira, o berimbau é considerado o principal instrumento, tendo se tornado seu símbolo. É ele que dita o ritmo do jogo; quando na roda de angola o jogo fica perigoso, a cantiga alerta e pede proteção.
Na roda de capoeira os movimentos exígem destreza corporal e força física.
As organizações internacionais de esporte estão estudando a possibilidade de colocar a capoeira em olimpíadas, pois, hoje, em mais de 140 países do mundo joga-se capoeira.
No Brasil, uma pesquisa recente que mostrou mais de seis milhões de pessoas aderiram à capoeira: homens, mulheres, velhos, adultos, jovens etc.
Visando formar o cidadão de boa índole, Beto e Gilmar,  mestres de capoeira em Itabirito-MG, fazem um grande trabalho educacional e social, cujos valores são: responsabilidade, harmonia, comprometimento, amadurecimento e uma boa convivência com pessoas de varias classes sociais.
Com um olhar atento para esses detalhes, sempre conseguem bons resultados com o grupo de capoeiristas. Essa iniciativa, realizada aqui, deveria servir de exemplo para outras cidades.
Em razão do ótimo trabalho realizado pelos mestres da capoeira, que a cidade tem grandes capoeiristas.
Alguns anos jogando capoeira, posso afirmar o brilhante trabalho que desenvolve o "Mestre Gilmar Capoeira", na formação de cidadãos.
Não parece obra do acaso o fato de muitas pessoas, mesmo as mais velhas e aposentadas, estarem praticando, cada vez mais, a capoeira.
Porque além de ser uma defesa pessoal, ajuda muito a manter uma boa saúde de quem o pratica.
Oh...Pandeiro...Oh...Caxixi...Oh...Atabaque...

Cristóvão Martins Torres

O Jogo na roda de Capoeira


A Capoeira nasceu no Brasil do século XVII, originária da Africa Central.
Foi desenvolvida pelos escravos como forma de se protegerem.
É uma mistura de música, dança, luta, jogo, religiosidade, etc
Sua atuação é muito diversificada, sempre ligados a movimentos educacionais, sociais e culturais.
Os capoeiristas desenvolvem suas atividades no Brasil; em escolas, áreas comunitárias, e na sede de associações e clubes, atuando juntos a crianças e adultos.
A aprendizagem acontecem pela observação da execução dos movimentos por capoeiristas mais experientes e pelos exercícios desses.
A roda de capoeira, constitui um espaço de tempo em que o corpo é intensamente uma festa.
É o corpo em festa que liberta a alma, dizem os entendidos.
Na capoeira o berimbau é considerado o principal instrumento da capoeira.
Sendo o seu símbolo, é ele que dita o ritmo do jogo.
Quando na roda de angola o jogo fica perigoso, a cantiga alerta e pede proteção.
Na roda de capoeira os movimentos exigem destreza corporal e força física, por isso é uma prática coletiva.
As organizações internacionais do esporte estão estudando a possibilidade de colocar a capoeira em olimpíadas, hoje mais 140 países no mundo jogam capoeira.
No Brasil em uma estatística recente, mais de seis milhões de pessoas aderiram a capoeira.
Não parece obra do acaso o fato de ter escolhido esse esporte para praticar, porque além de ser uma defesa pessoal, ajuda muito a manter uma boa saúde de quem o pratica.

Cristóvão Martins Torres

O Ensino Superior na Alemanha

Na Alemanha o ensino universitário é considerado extremamente importante. As Universidades, em geral, são públicas e gratuitas. Os professores são valorizados: os salários são bons e as condições de trabalho excelentes.
Em Kiel, os alunos, ao matricularem-se na Universidade, recebem uma identidade estudantil, que dá acesso gratuito ao transporte público municipal, aos restaurantes universtiários, cujos preços são subsidiados para os estudantes, descontos nos transporte intermunicipal por via férrea (trens) etc.
Embora a Alemanha esteja ainda sofrendo os impactos da crise financeira cujo ápice se deu no ano passado, o corte orçamentário recentemente anunciado pelo Governo Federal não atingirá a pesquisa e o ensino universitário, o que revela a importância que os alemães dão a eles.

"A Biblioteca central da Universidade de Kiel"


"Prédio do Instituto de História e Ciências Políticas da Universidade de Kiel"

Grande Teórico do Direito e Constitucionalista Alemão visita Ouro Preto.

A caminho de Ouro Preto, Robert Alexy, considerado hoje um dos maiores teóricos do Direito e Constitucionalistas do mundo, visitou o Blogueiro, tendo almoçado na casa deste.

Alexy esteve em Belo Horizonte para participar do "Congresso Brasil-Alemanha de Teoria do Direito e Direito Constitucional: Conceito e Aplicação do Direito em Robert Alexy", realizado na Faculdade de Direito da UFMG, bem como para receber o título de Doutor Honoris Causa pela referida Universidade.

Robert Alexy e Cristóvão Torres, na residência do blogueiro, após almoço oferecido por este ao eminente Jurista alemão. Ao fundo uma tela da terra natal do blogueiro, a querida São Domingos do Prata

Professor Europeu visita Blogueiro

O Prof. Dr. Jean-Christophe Merle, que leciona Filosofia na Universidade de Vechta-Alemanha, visitou este Blogueiro, no fim de semana passada..
Durante almoço oferecido ao Professor, o Blogueiro e o Docente conversaram sobre temas diversos, incluídas questões referentes à crise brasileira e à chegada dos refugiados na Europa.
Ao fundo uma tela da terra natal do blogueiro, a querida São Domingos do Prata


Abaixo, foto que registra o encontro, tirada na casa do Blogueiro, após o almoço.

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

"Doação Muda" de livros na Alemanha

Durante o tempo em que morei na Alemanha, tomei conhecimento de uma prática muito interessante: em determinados equipamentos públicos, como praças, parques etc., a prefeitura coloca à disposição da população estantes, nas quais as pessoas podem deixar os livros que já leram, para que outras pessoas peguem...

Fiquei impressionado com essa iniciativa, uma espécie de "doação muda"*, que faz com que a circulação de livros aumente, e, o melhor de tudo, a custo zero...

Perto da residência onde eu morava havia uma dessas estantes, e pensei então em colocar alguns livros que tinha levado para a leitura durante minha permanência. Exitei, pois não sabia se haveria interesse em livros escritos em português. Resolvi porém. arriscar, e coloquei na estante três livros que havia levado, e já terminado de ler...

Para minha surpresa, algumas semanas após ter colocado os livros na estante eles não estavam mais lá...Algum leitor ou alguns leitores de língua portuguesa os haviam levado. Não tenho como saber quem os levou: pode ter sido um ou alguns leitores brasileiros, portugueses, naturais de outro país de língua portuguesa ou mesmo algum alemão ou natural de outro país que tenha português como sua segunda língua...Jamais saberei. O que sei é que essa interessante iniciativa tornou possível que eu compartilhasse, na Alemanha, livros em língua portuguesa.

Abaixo, registro do dia em que coloquei um dos livros na estante.







*utilizo o termo "doação muda" sob inspiração do "comércio mudo" que havia em alguns povos antigos; nessa forma de comércio, um grupo deixava os bens que queria trocar em um local, e então saía. Um segundo grupo vinha e depositava os bens que queria ofertar em troca dos bens ofertados pelo primeiro grupo, depositando-os no mesmo local. Após a saída do segundo grupo, o primeiro grupo voltava e estudava a oferta do segundo grupo; se aceitasse a oferta, pegava os bens ofertados e ia embora; se negasse, pegava os seus bens de volta e ia embora.

Visita ao Castelo de Chambord no Vale do Loire

Localizado no vale do Loire a 200 Km de Paris.
O castelo de chambord, possui a arquitetura que fez dele o castelo de todos os exageros.
Com 156 metros de comprimentos, 56 metros de altura, 77 escadas, 282 chaminés e 426 divisões.
Contudo, apesar de suas dimensões colossais, o castelo seduz sempre pela sua beleza, graça e pelo seu equilíbrio.
A sua ornamentação é uma das obras-primas da renascença francesa.
Está inscrito na lista do patrimonio mundial da unesco.
O vale do Loire, onde ele está localizado, é uma das regiões mais bonitas da França.




Castelo de Chambord, no Vale do Loire.
Nesse Castelo foram gravados alguns capítulos de uma novela da globo.

Viver é mudar, mudar é viver

Mudar representa, para mim, um rito de passagem, é a fronteira definitiva entre o fim da infância e o início da vida adulta.
Na área pessoal temos, ao longo da vida, vários ritos de passagem, como por exemplo o nascimento, o crescimento, a adolescência, a fase adulta, a faculdade, o trabalho, o namoro, o casamento etc.
Todos esses eventos significam que estamos deixando alguma coisa para tráz, e iniciando uma nova fase em nossas vidas, agregando novas experiências e novos conhecimentos.
Deixemos que o tempo, criando a perspectiva exata dos fatos, apague cada fase vivida.
Mudar é estar determinado a se comportar de maneira diferente, sem jamais perder de vista o nosso contexto histórico que cerca e condiciona a nossa trajetória de vida.
É a parte da vida que se processa, que é tão importante para a felicidade quanto as nossas conquistas.
Está nas mãos de qualquer um mudar tudo que se gosta em si mesmo ou no mundo a sua volta.
Enfim, reconhecer quem a gente é, e quem a gente quer ser, onde a gente está e quer chegar.
Mudar de ideias, mudar de profissão, de emprego, mudar de visão, os costumes, o tipo de roupa que usa, o corte ou a cor do cabelo, mudar de sonhos, mudar de casamento, mudar de cidade etc.
As mudanças são necessárias e agregam muito valor à vida das pessoas; elas são vistas por muitos como um bom começo.
Segundo uma pesquisa o processo de transformação pessoal é classificado em quatro estágios: sofrimento, percepção, vontade e por fim , a mudança propriamente dita.
Lembre-se que não podemos mudar ninguém, e sim influenciar suas futuras escolhas.
As mudanças fazem parte dos ritos de passagem de nossas vidas.
O filósofo Heráclito, um homem de sentimentos elevados disse certa ocasião: "O mesmo homem nunca banha duas vezes na água do mesmo rio, porque nunca é o mesmo homem e nunca é o mesmo rio".
Nada é permanente a não ser a mudança.

Cristovão Martins Torres

Em um Café na Linda Cidade de Paris

"Em um café em París, pode-se tomar um bom vinho, ouvindo uma boa música tocada em um piano"

Le Pause Café, esse café ficou conhecido por causa do filme "Chacun cheche Sonchat"(cada um procura o seu gato)
Aberto de segunda-feira até sábado.